Covid-19: SUS e PNI fazem a diferença na distribuição de vacinas, diz médica

A infectologista Denise Garrett afirmou que o país está mais coordenado na vacinação do que os EUA, já que possui uma infraestrutura mais robusta para este fim

Da CNN, em São Paulo
24 de janeiro de 2021 às 18:15 | Atualizado 24 de janeiro de 2021 às 19:45


Em entrevista à CNN neste domingo (24), a infectologista e epidemiologista Denise Garrett elogiou a infraestrutura da saúde no Brasil e afirmou que o país está mais coordenado na logística de vacinação da Covid-19 do que os Estados Unidos por causa da existência do Sistema Único de Saúde (SUS) e também do Programa Nacional de Imunização (PNI), que existe desde 1973.

Por conta de toda essa estrutura, segundo ela, a campanha de vacinação para a Covid-19 terá uma distribuição das vacinas melhor do que a vemos atualmente nos EUA e em outros países com dimensões continentais. 

"O que temos no Brasil com o SUS e o Programa Nacional de Imunização é excepcional. Há uma logística e infraestrutura que funcionam muito bem. Essa coordenação a nível nacional não existe nos Estados Unidos", disse Garrett. 

"O maior entrave na nação norte-americana é a falta de planejamento."

O PNI, é bom lembrar, funciona desde 1973 e conseguiu erradicar uma série de doenças que já assombraram a população, como varíola, poliomielite (paralisia infantil), tétano e difteria, com a vacinação em massa. 

Início da aplicação da vacina contra Covid-19 no Rio de Janeiro
Início da aplicação da vacina contra Covid-19 no Rio de Janeiro
Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil (18.jan.2021)

(Publicado por: Marina Motomura)