Presidente de conselho defende punição a quem desvia vacina contra Covid-19

Conselho de Secretarias diz que acompanha junto com Ministério Público irregularidades na vacinação pelo país

Da CNN, em São Paulo
26 de janeiro de 2021 às 12:12


Os desvios de vacinas contra a Covid-19, que deveriam imunizar profissionais de saúde mas também têm sido destinadas a secretários e prefeitos,  não devem ficar impunes, defende o presidente do  Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems), Wilames Freire.

"Não é por falta de informação que se está cometendo esse desvio. Se alguém está desviando e cometendo ilícito, não é por falta de orientação nem conhecimento. Essas pessoas precisam ser punidas e estamos junto do Ministério Público fazendo esse acompanhamento para que não haja desvio de vacina, de conduta e se imunize os grupos prioritários", afirma. "Que essas pessoas tenham paciência, vai chegar a vez delas. Acredito que com a produção de vacinas pela Fiocruz e Instituto Butantan, elas serão imunizadas", completa.

 

Wilames Freire, presidente do Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems) (26.jan.2021)
Foto: Reprodução/CNN



Freire comentou ainda o ritmo de vacinação no país. "O Brasil é muito grande, tem cidades que levam 10, 12 dias para chegarem as doses. Estamos orientando os municípios, mas sabemos que pela dimensão continental do país e pela dificuldade de acesso, ainda vai levar muitos dias para que esse processo seja consolidado".