Variante da Covid detectada no Brasil pode se tornar 'mais dominante', diz Fauci

Consultor médico da Casa Branca, o Dr. Anthony Fauci comentou a capacidade "de se espalhar" da cepa do coronavírus detecatada originalmente no Brasil

Por Andrea Diaz, da CNN
26 de janeiro de 2021 às 00:52 | Atualizado 26 de janeiro de 2021 às 02:15
 Anthony Fauci
Anthony Fauci, considerado o principal imunologista dos Estados Unidos e conselheiro da Casa Branca
Foto: CNN Conteúdo


 

O Dr. Anthony Fauci, diretor do Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas dos Estados Unidos e consultor médico chefe do presidente, disse que a nova variante do novo coronavírus chamada P.1 pode se tornar mais "dominante".

A cepa foi identificada primeiro no Brasil e, nesta segunda-feira (25), também nos EUA, em uma pessoa de Minnesota que recentemente esteve no território brasileiro.

"Se ela (a variante) tem a capacidade de se espalhar de maneira mais eficiente, é provável que se torne cada vez mais dominante, mas temos que esperar para ver", disse Fauci em uma entrevista à CNN americana na noite de segunda-feira.

 

O especialista disse estar "prestando muita atenção" a essa nova variante, bem como a uma cepa também encontrada recentemente na Califórnia.

"Até recentemente, não tínhamos uma vigilância genômica abrangente, mas o CDC está realmente aumentando (essa capacidade de testar novas cepas), com muita colaboração do National Institute of Healths (NIH), para ter uma ideia muito melhor do que está circulando em nosso país ”, disse Fauci.

Segundo o médico, as vacinas já em uso para Covid-19 são provavelmente eficazes contra as novas variantes.

"A boa notícia é que as vacinas, como existem agora, ainda devem ser eficazes contra os mutantes. A notícia preocupante é que, à medida que você obtém mais e mais replicação, pode obter mais e mais da evolução dos mutantes, o que significa que podem estar um passo à frente", disse Fauci.

Fauci disse que os anticorpos induzidos pelas vacinas Moderna e Pfizer parecem ser eficazes no bloqueio da variante encontrada inicialmente no Reino Unido. Ele disse que a evidência também indica que as vacinas protegerão as pessoas contra a infecção com variantes detectadas pela primeira vez na África do Sul e no Brasil.

"Quando você está lidando com (as variantes de) África do Sul e o Brasil - mas principalmente com a África do Sul, não olhamos para o Brasil tão cuidadosamente como a África do Sul - embora tenha diminuído um pouco, ainda está dentro da faixa de proteção de ser uma vacina eficaz", avaliou Fauci.