No ritmo atual, Brasil pode levar mais de 4 anos para vacinar 162 mi de pessoas

Avaliação é de Luiz Gustavo de Almeida, microbiologista da Universidade de São Paulo (USP), que, em entrevista à CNN, falou sobre campanha de vacinação no país

Produzido por Renata Souza*, da CNN, em São Paulo
08 de fevereiro de 2021 às 12:48


Iniciada em todos os estados brasileiros, a campanha de vacinação contra a Covid-19 está abaixo do esperado. A avaliação é do microbiologista da Universidade de São Paulo (USP), Luiz Gustavo de Almeida, membro do Instituto Questão de Ciência. Em entrevista à CNN, ele avalia que, no ritmo atual, a imunização do número necessário de brasileiros para frear a pandemia pode levar até cinco anos.

"Nos 10 primeiros dias, vacinamos 2 milhões de pessoas. Parece bastante, mas temos que levar em consideração que nosso país é continental, precisaríamos vacinar pelo 162 milhões. Se continuarmos nesse ritmo que sabemos que está no uso emergencial....se continuar assim, vamos demorar pelo menos quatro anos e meio [para vacinar toda a população]", afirmou Almeida.

O microbiologista ressaltou que o número é apenas uma projeção e não significa que será confirmada. "Temos capacidade de fazer muito mais do que isso, mas estamos muito aquém do que inclusive já fizemos no ano passado, com outras vacinas", disse, exemplificando a campanha de imunização contra a gripe em 2020.

 

"Ano passado, que já estávamos em pandemia, [vacinamos contra a gripe] fazendo drive-thru e com preocupação com distanciamento. Em 100 dias, vacinamos 54 milhões de pessoas, ou seja, vacinamos, em média, 540 mil pessoas por dia", apontou Almeida para dizer que o Sistema Único de Saúde (SUS), recebendo mais doses dos imunizantes contra a Covid-19, teria total capacidade de ampliar e acelerar a vacinação no país.

(*Supervisão de Layane Serrano)

 

(Publicado por Sinara Peixoto)