Polícia investiga nova denúncia de falsa vacinação no Rio de Janeiro

Imagens mostram que a agulha é colocada no braço da idosa com o êmbolo já em um nível baixo, quase no limite da seringa

Paula Martini e Thayana Araújo, da CNN, no Rio de Janeiro
18 de fevereiro de 2021 às 12:52
Falsa vacinação no RJ
Falsa vacinação: filha observou que agulha foi colocada no braço da idosa com o êmbolo já em um nível baixo, quase no limite da seringa
Foto: Divulgação

 

A Polícia Civil investiga mais uma suspeita de falsa vacinação contra a covid-19 no Rio de Janeiro. O caso aconteceu no dia 27 de janeiro, no Centro Municipal de Saúde João Barros Barreto, em Copacabana. O local é o mesmo onde a CNN flagrou a 'xepa da vacina' no início do mês. A reportagem obteve as imagens do momento em que Ana Maria Vilela de Abreu Silva, dentista com 85 anos, teria recebido uma dose do imunizante de Oxford/AstraZeneca. 

Nas imagens, é possível ver que a agulha é colocada no braço da idosa com o êmbolo já em um nível baixo, quase no limite da seringa. Os registros foram feitos por uma filha da idosa, que resolveu rever as imagens nessa quarta-feira (17), após várias denúncias de falsa vacinação circularem nas redes sociais.

 

Foi então que ela percebeu que a seringa utilizada estava vazia, ou com pouca quantidade do imunizante, e foi até o posto de saúde imediatamente. A CNN apurou que a 12ª DP (Copacabana) vai investigar a profissional de saúde pelo crime de peculato. A polícia informou que ela já foi afastada das funções. O caso foi revelado pela rádio CBN. 

Segundo uma das filhas de Ana Maria, Luciana Vilela de Abreu, a chefe do posto reconheceu a irregularidade logo após ver os registros da família.

"A chefe do posto assumiu que a vacinação não foi feita de forma correta, pediu desculpas e disse que tentaria conseguir uma dose para vacinar minha mãe, em casa, até amanhã. Eu ainda não tive coragem de contar que ela não está vacinada. Eu sou profissional da saúde e estava há dois meses sem visitá-la. Resolvemos nos encontrar no fim de semana, achando que ela já podia estar minimamente imunizada, e agora temos essa notícia. É revoltante, inacreditável", disse à CNN

 

Depois da denúncia, a idosa foi vacinada em casa, no início da tarde desta quinta-feira (18). As secretarias estadual e municipal de Saúde foram procuradas pela CNN, mas não se manifestaram até a prublicação desta notícia.