Máscara, testes, isolamento: Veja o que é preciso fazer após ser vacinado

Sanjay Gupta, correspondente-chefe dos assuntos de saúde da CNN americana, deu algumas dicas sobre o que as pessoas devem fazer após serem vacinadas; confira

Adrienne Vogt, da CNN
27 de fevereiro de 2021 às 17:51 | Atualizado 27 de fevereiro de 2021 às 17:58
Morador de Los Angeles, nos EUA, faz teste para o novo coronavírus
Testes ainda precisarão ser usados, mesmo meses após a vacinação
Foto: Lucy Nicholson - 25.nov.2020/Reuters

Com o avanço da vacinação pelo mundo, as perguntas sobre a disseminação do novo coronavírus ganharam algumas atualizações. Afinal, é preciso ainda usar máscara? Os testes continuam sendo necessários? Como deve agir alguém que já se vacinou? 

O neurocirurgião Sanjay Gupta, correspondente-chefe dos assuntos de saúde da CNN, deu algumas dicas sobre o que as pessoas devem fazer após serem vacinadas depois de receber perguntas dos telespectadores da CNN nos Estados Unidos.

O médico alerta que existe a possibilidade de mesmo os imunizados ainda carregarem o vírus consigo e transmitir para outros. Por isso, pode haver algumas limitações com relação ao retorno à rotina mesmo depois da vacinação. 

Preciso usar máscara se eu e as pessoas ao meu redor já tiverem sido vacinadas? 

“O risco para esses casos é baixo”, disse Gupta. “Você pode se sentir muito confiante de que não vai ficar doente se tiver sido vacinado. Mas você ainda poderia estar potencialmente segurando o vírus, carregando o vírus e transmiti-lo? Sim. Parece baixa a probabilidade, mas, sim”. 

O Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC, na sigla em inglês) disse que uma pessoa totalmente vacinada não precisa passar pela quarentena se entrar em contato com alguém que esteja infectado com o novo coronavírus. 

O diretor do Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas, doutor Anthony Fauci, avalia, porém, que outras orientações serão dadas em breve sobre a necessidade de usar máscara em ambientes em que todos estão vacinados.

Gupta destaca que pode haver uma mudança nas recomendações oficiais quanto ao cenário de convivência entre pessoas vacinadas. Mas a recomendação, por enquanto, é de continuar a usar máscaras, mesmo nessa situação. 

Tenho feito testes frequentemente para detecção do novo coronavírus no meu trabalho a pedido da empresa. Depois de receber a segunda dose da vacina, vou precisar continuar fazendo os testes? 

Sim, diz Gupta. “Estes (os testes) fornecem os dados exatos. Provavelmente, mais exatos do que qualquer outra coisa. E precisamos do que eles podem nos mostrar pelos próximos dois meses, pelo menos”, disse ele. 

Isso porque os testes serão os responsáveis por verificar se as vacinas, de fato, estão imunizando a população como se deve.

"Você e outras pessoas deverão continuar a fazer o teste depois dessas vacinas. É assim que saberemos com certeza se a vacina está ou não prevenindo a infecção"

Sanjay Gupta, correspondente-chefe dos assuntos de saúde da CNN


Depois de vacinado, posso retomar minhas atividades diárias normalmente?

“Você precisa estar bastante seguro de que não está ficando doente. É importante que isso não seja subestimado pelas pessoas. Ainda que você tenha essa segurança, de que não está doente, existe a chance de estar portando o vírus. Ao menos, essa é a conclusão dos estudos até agora”, disse Gupta.

“Provavelmente, chegaremos durante a primavera e o verão (no Hemisfério Norte – aqui, outono e inverno) ao ponto em que as taxas de transmissão caiam tanto que teremos algum tipo de imunidade de rebanho que realmente iniba as transmissões. E aí poderemos relaxar as medidas restritivas”, disse Gupta. A partir de então, a normalização parece ser mais segura. 

“Mas não sei se (essa imunidade de rebanho) vai ser linear”, disse Gupta, acrescentando que poderíamos ver algum aumento de casos no inverno. 

O médico destaca ainda a necessidade de quem se vacinou levar em conta que a imunização tem seguido etapas e que ainda há muitas pessoas que não se vacinaram. 

"Ser vacinado é ótimo, mas você tem essa obrigação com os outros de não passar o vírus para eles"

Sanjay Gupta, correspondente-chefe dos assuntos de saúde da CNN