OMS: 1 em cada 3 mulheres sofreu violência física ou sexual entre 2000 e 2018

Na edição desta sexta-feira (12) do quadro Correspondente Médico, do Novo Dia, o neurocirurgião Fernando Gomes falou sobre violência contra a mulher

Fernanda Lanza, da CNN, em São Paulo
12 de março de 2021 às 08:51

A Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgou um relatório que aponta que uma em cada três mulheres no mundo sofre violência física ou sexual durante a vida. O relatório é o maior estudo da entidade sobre o tema. Esses números são de 2000 até 2018, ou seja, não incluem os dados do período de pandemia -- atualmente, a situação deve ser ainda mais séria.

Ainda segundo a OMS, a violência começa cedo: uma em cada quatro jovens, entre 15 e 24 anos, sofre violência do parceiro.

Na edição desta sexta-feira (12) do quadro Correspondente Médico, do Novo Dia, o neurocirurgião Fernando Gomes falou sobre violência contra a mulher.

“O processo de empatia é algo que deve acontecer com todas as pessoas. Não existe mais espaço para que uma pessoa sofra agressão física e emocional. É importante que todas as pessoas tenham noção disso e que existam meios de denunciar e corrigir essa situação. Este é um problema que não tem mais espaço na nossa sociedade. Todo mundo tem o direito de ter sua autoestima e a integridade preservadas”, disse Gomes.

“A longo prazo esse processo de conscientização vai mudar a sociedade ao redor do mundo. No cenário ideal, o que queremos é que essas pessoas se regenerem e deixem de ser agressores para passarem a ser pessoas que defendem a causa. É um processo lento, parece utópico, mas muito mais do que identificar um culpado, é importante um processo educacional.”

(Publicado por Marina Motomura)