Saúde já está em colapso no Brasil, dizem especialistas

Natália Pasternak e Renato Kfouri alertam para colapso se medidas restritivas mais rígidas não forem implantadas no país

Jorge Fernando Rodrigues, da CNN, em São Paulo
12 de março de 2021 às 01:47

O Brasil precisa levar a sério medidas que impeçam a propagação da Covid-19, se quiser diminuir recordes de mortes diários que vêm sendo registrados. A microbiologista Natália Pasternak falou sobre o assunto na noite desta quinta-feira (11) à CNN.

"A gente precisa realmente que governadores sigam o exemplo de São Paulo. Precisamos dessas medidas que impeçam a circulação de pessoas. É a maior redução de mobilidade que a gente já fez durante a pandemia", diz, citando o anúncio do que começará a valer no estado a partir da próxima segunda-feira (15).

A especialista discorda do ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, que negou o colapso do sistema de saúde.

"Já está colapsando, já tem lista de espera em hospitais. Pessoas vão morrer por falta de atendimento, e não só por causa da doença, isso já não é colapso? Não sei a noção de colapso que o ministro da Saúde tem. Já era tempo de levar essa pandemia a sério", desabafa.

O infectologista e diretor da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm), Renato Kfouri, que também conversou com a CNN, na madrugada desta sexta-feira (12), concorda.

"Onde não colapsou vai colapsar se medidas mais duras não forem tomadas. Santa Catarina já está exportando doentes, porque não tem nenhuma vaga. Não sei onde o ministro acha que não está colapsando. Tem regiões com fila de espera".

Ele explica a gravidade da situação. "Esse é o pior cenário: é o indivíduo com insuficiência respiratória, numa maca de pronto-socorro e não tem vaga. Esse é o momento mais difícil da pandemia. Se continuarmos nesse ritmo de transmissão, corremos o risco de muitas outras cidades terem o mesmo cenário", alerta.