Reino Unido considera adotar "certificado Covid" para eventos presenciais

De acordo com as autoridades britânicas, a permissão será válida para pessoas que tiveram resultado negativo em testes para detecção da doença

Niamh Kennedy, CNN
19 de março de 2021 às 10:53
Mulher de máscara no Reino Unido.
O Reino Unido estuda formas para o retorno seguro de eventos presenciais
Foto: Maja Hitij/Getty Images

O Reino Unido está considerando usar um "certificado Covid" para permitir participação em eventos presenciais, segundo pronunciamento do secretário de Cultura Oliver Dowden nesta sexta-feira (19).

Dowden disse à Sky News que os eventos esportivos estão sendo a prioridade e o governo do Reino Unido "está testando se podemos usar a certificação Covid para ajudar a facilitar o retorno dos jogos".

O plano é semelhante aos rumores de que o país pretendia adotar o “passaporte covid”, espécie de documento que avisava quem já havia sido contaminado pelo vírus, que já foi descartado pelo primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson.

Desta vez, no entanto, a permissão é de que pessoas que tiveram resultado negativo no teste possam comparecer aos locais.  

 De acordo com Dowden, os certificados podem ser usados ??“para provar, por exemplo, que você recebeu uma vacina ou que testou negativo”, disse. Ele ainda acrescentou que “pode ser uma das alternativas para que as pessoas possam voltar aos estádios."

Eventos-piloto para retorno de multidões

Pessoas andam de máscaras pelas ruas no Reino Unido
Foto: REUTERS/Hannah McKay

O Reino Unido planeja usar vários eventos culturais e esportivos de alto nível como “eventos-piloto” para testar o retorno das multidões. A final da Copa da Inglaterra, que ocorre no dia 15 de maio, será um deles.

Durante esses “eventos-piloto”, o objetivo do Reino Unido é “como garantir segurança em ambientes internos e externos para trazer de volta o máximo de pessoas possível e voltar a fazer as coisas que realmente amamos”, disse Dowden.

O governo também analisará o impacto de “do uso de proteção individual, como máscaras e higiene das mãos”, com o ministro do Gabinete Michael Gove, encarregado de supervisionar o programa de certificação da Covid-19 no Reino Unido.

“[Estamos] trabalhando com muitos funcionários para estudarmos como podemos trazer as pessoas de volta com segurança. Estou realmente preocupado com o futuro das indústrias, que são vitais não apenas para nosso senso de bem-estar nacional, mas principalmente para toda a economia nacional. "

De acordo com o roteiro do governo do Reino Unido, os eventos presenciais em grande escala estão programados para retornar em 21 de junho. Dowden disse que essa é a sua "missão número um".

(Esse texto é uma tradução. Para ler a versão original, em inglês, clique aqui)