Momento não é adequado para mudar registro de mortes por Covid, diz pesquisador

Avaliação é do pesquisador da Fiocruz Marcelo Gomes, que disse que momento e forma como alteração foi realizada pelo Ministério da Saúde foram inadequadas

Produzido por Thiago Felix, da CNN, em São Paulo
25 de março de 2021 às 16:49

O pesquisador da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) Marcelo Gomes afirmou nesta quinta-feira (25), em entrevista à CNN, que uma mudança no registro de mortes por Covid-19 seria positiva, mas não da forma e no momento em que foi feita pelo Ministério da Saúde na última terça-feira (23).

De acordo com Gomes, a decisão da pasta impactou diretamente no atendimento aos pacientes em unidades de saúde pelo país. "A lógica por trás é uma boa, de necessitar a inserção do CPF do paciente ou o número do Cartão Nacional de Saúde (CNS), mas nem todo mundo que busca atendimento está com essa informação na mão", afirmou.

"O lado positivo é que ter o CPF ou CMS facilita em remover eventuais duplicidades, identificar casos suspeitos de reinfecção e até fazer cruzamento com outros sistemas de informação de saúde e socioeconômicos. Tem uma lógica boa por trás, mas o momento não é o mais adequado", detalhou o especialista.

Por causa das críticas de diversos setores da área médica, o ministério recuou na decisão. Segundo os técnicos da Saúde, a mudança iria atrasar a contagem de óbitos no Brasil.

Estrutura de hospitais com leitos de UTI e enfermaria para o tratamento da Covid-19
Foto: CNN Brasil