"Deixe o passado para trás", diz Queiroga sobre impasse com governadores

Ministro da Saúde minimizou a tensão entre o governo federal e os governadores após o presidente ter entrado com ação no STF contra medidas restritivas

Por Igor Gadelha, CNN  
29 de março de 2021 às 09:41 | Atualizado 29 de março de 2021 às 09:44

 Em entrevista à CNN nesta segunda-feira (29), o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, minimizou as tensões entre o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e os governadores, após tentativa de judicialização, por parte do governo federal, das medidas de restrição da locomoção adotadas pelos governos estaduais.

"Eu tenho pedido para vocês não olharem para trás e vocês continuam olhando pelo retrovisor", disse o ministro ao comentar as ações que pretende adotar na pasta para criar consenso no combate à pandemia. 

“Há espaço para redução da mortalidade hospitalar. Há espaço para ampliar o uso de máscara. Há espaço para se coordenar medidas de distanciamento social próprias, de modo que a gente consiga reduzir número de óbitos. É necessário uma ação conjunta. Não adianta cada um remar para um lado que nós não conseguimos avançar. É fundamental a união de todos para termos sucesso”, afirmou Marcelo Queiroga.

O ministro pediu convergência das demais esferas do executivo e dos outros poderes no enfrentamento da pandemia. Segundo Queiroga, o Ministério da Saúde deve anunciar em breve medidas que "amonizem a conduta médica" e sirvam de protocolo padrão para todo o país.

"O Ministério da Saúde vai adotar medidas padronizadas, como telessaúde, para orientar melhor os médicos da ponta. Nós temos que atuar também na atenção primária", disse. Além disso, Queiroga defendeu a autonomia dos médicos na prescrição dos medicamentos no tratamento da Covid-19, sem contraindicar o receitamento de produtos do chamado  "Kit Covid".