BioNTech eleva meta de produção de vacina em 2021 para 2,5 bilhões de doses

Imunizante produzido em parceria com a Pfizer já recebeu encomendas de 1,4 bilhão de doses; vendas podem chegar a US$ 11,7 bilhões

Reuters
30 de março de 2021 às 13:46 | Atualizado 30 de março de 2021 às 13:48
Frasco com vacina contra Covid-19 da Pfizer/BioNTech em hospital da Irlanda
Frasco com vacina contra Covid-19 da Pfizer/BioNTech em hospital da Irlanda
Foto: Liam McBurney/Pool via Reuters (8.dez.2020)

A BioNTech e a Pfizer aumentarão a capacidade de produção de sua vacina contra Covid-19 para 2,5 bilhões de doses até o final de 2021, anunciou a farmacêutica alemã nesta terça-feira (30), com projeção de vendas de quase US$ 11,7 bilhões do produto neste ano.

A Pfizer havia dito que as parceiras provavelmente produziriam entre 2,3 bilhões e 2,4 bilhões de doses neste ano.

A BioNTech citou sua nova instalação na cidade alemã de Marburgo e a ampliação da rede de fabricantes terceirizados e fornecedores da dupla como catalisadores dos volumes maiores.

"Medidas adicionais e conversas com parceiros em potencial para ampliar ainda mais a capacidade produtiva e a rede estão em andamento", disse a empresa.

Até a semana passada, mais de 200 milhões de doses do produto, conhecido como BNT162b2 ou Comirnaty, haviam sido fornecidas a mais de 65 países, e as encomendas para entrega em 2021 chegam a 1,4 bilhão de doses no momento, disse a BioNTech.

Mas o reforço na produção refletiu uma demanda maior, e "conversas para compromissos de doses adicionais estão em andamento".

Na semana passada, a agência reguladora de medicamentos da União Europeia aprovou o uso de vacinas contra Covid-19 produzidas na instalação de Marburgo, que vislumbra uma produção anual de 1 bilhão de doses.

No início de fevereiro, a Pfizer projetou que a Comirnaty contribuirá com ao menos US$ 15 bilhões para as vendas do grupo em 2021.