Roche pede à Anvisa uso emergencial de medicamento contra a Covid-19

Coquetel contendo casirivimabe e imdevimabe tem apresentado bons resultados em pacientes com sintomas moderados; EUA já aprovou utilização

Matheus Prado, da CNN, em São Paulo
02 de abril de 2021 às 11:13 | Atualizado 03 de abril de 2021 às 10:42

 A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) recebeu na quinta-feira (1) o pedido de uso emergencial de um medicamento da farmacêutica Roche contra a Covid-19.

Trata-se de um coquetel contendo casirivimabe e imdevimabe, dois remédios experimentais desenvolvidos pela empresa de biotecnologia americana Regeneron e produzidos em parceria com a gigante suíça. A aplicação é intravenosa. 

O medicamento já recebeu a chancela emergencial do Food and Drug Administration (FDA), agência reguladora dos Estados Unidos, após apresentar bons resultados em pacientes com sintomas leves e moderados da Covid-19.

Seringas e agulhas para vacinação
Seringas e agulhas para vacinação
Foto: HVesna/Pixabay

"Em um ensaio clínico de pacientes com Covid-19, casirivimabe e imdevimabe, administrados juntos, mostraram reduzir a hospitalização relacionada a Covid-19 ou as visitas de emergência em pacientes com alto risco de progressão da doença em 28 dias após o tratamento, quando comparados ao placebo. A segurança e eficácia desta terapia experimental para uso no tratamento de Covid-19 continuam a ser avaliadas", diz o comunicado do FDA.

No Brasil, a Anvisa utilizará o relatório do FDA como referência, mas tem processo próprio para aprovação do medicamento. O processo pode levar até 30 dias após a agência sanar suas dúvidas técnicas com o laboratório.