Japão faz primeiro transplante de pulmão de doador vivo em paciente com Covid-19

Médicos japoneses dizem que cirurgia é a primeira do mundo; marido e filho doaram tecidos pulmonares à paciente internada e usava pulmão artificial

Julia Hollingsworth e Emiko Jozuka, da CNN
09 de abril de 2021 às 14:19
Exames de raio-x realizados antes e depois do procedimento
Exames de raio-x realizados antes e depois do procedimento: as partes escuras na fotografia da direita representam as áreas transplantadas
Foto: Cortesia do Hospital da Universidade de Kyoto

Uma mulher japonesa que teve os pulmões gravemente afetados pela Covid-19 recebeu o que os médicos dizem ser o primeiro transplante de pulmão do mundo feito por doadores vivos para um paciente recuperado do novo coronavírus. 

O Hospital Universitário de Kyoto disse que a mulher foi submetida a uma operação que durou 11 horas, por uma equipe médica de 30 pessoas na quarta-feira (7), para transplantar tecido pulmonar de seu marido e filho.

A Covid-19 é conhecida por causar graves danos aos pulmões em alguns pacientes. Pessoas em todo o mundo receberam transplantes de pulmão como parte de sua recuperação da doença.

Mas o hospital de Kyoto disse que este caso foi o primeiro em que tecido pulmonar foi transplantado de doadores vivos para um paciente Covid-19.

Dr. Hiroshi Date, o cirurgião torácico do hospital que conduziu a operação, disse que ela deu esperança aos pacientes que sofrem de graves danos pulmonares causados pela Covid-19.

“Demonstramos que agora temos a opção de transplantes de pulmão (de doadores vivos)”, disse ele em entrevista coletiva na quinta-feira (8).

A paciente, identificada apenas como uma mulher da região oeste de Kansai, no Japão, contraiu a Covid-19 no final do ano passado e ficou meses em uma máquina que funcionava como um pulmão artificial, de acordo com o Hospital da Universidade de Kyoto.

A Covid-19 causou tantos danos aos pulmões dela que eles não funcionavam mais, e a mulher precisou de um transplante para viver.

O marido e o filho da mulher se ofereceram para doar partes de seus pulmões. De acordo com um comunicado do hospital, transplantes de doadores com morte cerebral ainda são raros no Japão, e doadores vivos são considerados a melhor opção.

Médicos realizam o transplante em paciente
Médicos realizam o transplante em paciente
Foto: Cortesia do Hospital da Universidade de Kyoto

O marido e o filho estão em condições estáveis e a mulher continua em cuidados intensivos. Segundo a instituição, ela deve deixar o hospital em cerca de dois meses.

Em junho do ano passado, cirurgiões dos Estados Unidos realizaram um transplante duplo de pulmão com sucesso em um paciente com Covid-19 — que se acredita ser a primeira operação desse tipo em um paciente com coronavírus no país.

No mês passado, cirurgiões americanos concluíram um transplante duplo de pulmão “Covid para Covid”, usando pulmões de um doador que se recuperou da Covid-19, mas que morreu de outra causa, para um paciente de 60 anos, cujos pulmões foram afetados pela doença.

Um estudo divulgado no início do ano com mais de 1.700 pacientes tratados na cidade chinesa de Wuhan – marco zero da pandemia – descobriu que os raios-X de pacientes gravemente doentes mostraram evidências de danos pulmonares meses após a infecção. 

(Texto traduzido. Leia o original em inglês).