Covid se torna principal causa de afastamento do trabalho

No ano passado, a doença foi a terceira causa de afastamento no Brasil, com mais de 37 mil requerimento

Bianca Camargo, da CNN, em São Paulo
18 de abril de 2021 às 15:19
Profissional aplica teste do tipo RT-PCR para detecção do novo coronavírus
Profissional aplica teste do tipo RT-PCR para detecção do novo coronavírus
Foto: Callaghan O'Hare/Reuters (23.jun.2020)

A Covid-19 é a principal causa de afastamento de trabalhadores em 2021: apenas no primeiro trimestre, foram mais de 13 mil pessoas. Os dados são da Secretaria de Previdência e Trabalho, com base no número atualizado de beneficiários de incapacidade temporária, antigo auxílio-doença.

Só no ano passado, a doença foi a terceira causa de afastamento no Brasil, com mais de 37 mil requerimentos. Em primeiro lugar estava o transtorno disco lombar e em segundo, síndrome do manguito rotador.

Desde o início da pandemia, São Paulo é o estado com mais afastamento pelo vírus, com 16.745 até março de 2021. Só neste ano, no primeiro trimestre, o estado registrou 4.843. Em seguida, vem o Distrito Federal (235), Minas Gerais (4.359), Rio de Janeiro (1.263) e Rio Grande do Sul (1.133).

Para ter direito ao benefício por incapacidade temporária, o trabalhador tem que ficar mais de 15 dias ausentes de suas atividades. O segurado pode escolher ir até a agência, para realizar a perícia, ou enviar os documentos pela internet, pelo site ou aplicativo Meu INSS.

Atualmente, são 500 mil trabalhadores que estão agendados para a perícia médica por quaisquer motivos de saúde, não necessariamente por Covid-19. Destes, mais de 400 mil são pedidos de requerimentos iniciais, ou seja, que não solicitaram o auxílio-doença antes. Ainda dos trabalhadores aguardando na fila para atendimento, cerca de 138.427 pediram a prorrogação do benefício.

Com base nos dados de março, o tempo médio entre o agendamento e a realização da perícia era de 42 dias.

Dados

São Paulo

JAN/20 até MAR/21 – 16.745
2020 – 11.902
2021 (até março) – 4.843

Distrito Federal

JAN/20 até MAR/21 – 6.474
2020 – 6.239
2021 (até março) – 235

Minas Gerais

JAN/20 até MAR/21 – 4.359
2020 – 2.826
2021 (até março) – 1.533

Rio de Janeiro

JAN/20 até MAR/21 – 3.432
2020 – 2.169
2021 (até março) – 1.263

Rio Grande do Sul

JAN/20 até MAR/21 – 3.295
2020 – 2.162
2021 (até março) – 1.133

Total em 2021 (soma de todos estados + DF)

13.259

Total em 2020 (soma de todos estados + DF)

37.045