Governo de SP inicia distribuição de 407 mil medicamentos do kit intubação

O governador João Doria (PSDB) diz que os medicamentos foram doados por empresas privadas ao Ministério da Saúde e devem durar apenas três dias

Rafaela Lara, da CNN, em São Paulo
18 de abril de 2021 às 15:48
Pessoas aguardam vagas para leitos de UTI em São Paulo
Pacientes com Covid-19 em leitos de UTI, em São Paulo (20.mar.2021)
Foto: Reprodução / CNN

O governo do estado de São Paulo iniciou neste domingo (18) a distribuição de mais de 400 mil medicamentos que compõem o kit intubação. Em um post nas redes sociais, o governador João Doria (PSDB) anunciou a chegada e distruibuição dos itens que foram doados pelo setor privado ao Ministério da Saúde. 

"Iniciamos a distribuição de 407 mil medicamentos para intubação. São itens doados ao Ministério da Saúde por empresas privadas, que estão fazendo aquilo que o Governo Federal deveria fazer. A essas empresas, nosso agradecimento", escreveu Doria. 

Segundo ele, a quantidade recebida é suficiente para abastecer os hospitais do estado por três dias. "O que recebemos é suficiente para atender nossos hospitais por apenas 3 dias. Continuamos aguardando envio de mais medicamentos pelo Ministério da Saúde, já que nossas compras estão sendo prejudicadas pela requisição feita pelo Governo Federal aos fabricantes nacionais."

Na última terça-feira (13), o governo de São Paulo havia encaminhado um ofício ao Ministério da Saúde solicitando o recebimento dos remédios que compõem o kit e são fundamentais para intubação de pacientes que desenvolveram quadros graves de Covid-19

No ofício, o secretário de Saúde, Jean Gorinchteyn, afirmou que a situação de abastecimento desses medicamentos, "principalmente daqueles que compõem as classes terapêuticas de bloqueadores neuromusculares e sedativos está gravíssima, isto é, na iminência do colapso, considerando os dados de estoque e consumo atualizado pelos hospitais”.

Nesta quinta-feira (15), o Brasil recebeu  2,3 milhões de medicamentos do kit intubação vindos da China. Segundo a secretaria de Saúde de São Paulo, o estado receberia 440 mil medicamentos que compõem o kit. No entanto, segundo Doria, o carregamento destinado ao estado tem 407 mil remédios. 

Em março, conforme revelou a CNN, o Ministério da Saúde requisitou todo o estoque de fabricantes brasileiras desses medicamentos. A informação foi confirmada pelo laboratório Cristália. Em nota, o laboratório afirmou que, além da requisição de seus medicamentos, outros fabricantes também receberam o mesmo pedido do governo federal.