Governo de São Paulo prorroga fase de transição, mas amplia horário do comércio

Medida valerá por mais duas semanas com comércio funcionando até as 21h com 30% da capacidade de ocupação

Tainá Falcão e Weslley Galzo, da CNN, em São Paulo
07 de maio de 2021 às 12:48 | Atualizado 07 de maio de 2021 às 13:54

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), anunciou nesta sexta-feira (7) a prorrogação da fase de transição do Plano SP por mais duas semanas. A notícia foi antecipada pela CNN.

No dia 28 de abril, o governo estadual estendeu o prazo de vigência dessa etapa do plano. A medida deveria expirar no domingo (9), mas seguirá em execução até o dia 23 de maio. A prorrogação, porém, veio acompanhada da ampliação do horário de funcionamento dos setores de comércio e serviços até 21h -- antes o período permitido era até as 20h.

Os estabelecimentos comerciais também poderão ampliar para 30% a ocupação do espaço, antes a limitação era de 25% da capacidade de lotação. O governador João Doria afirmou que a flexibilização foi possibilitada por uma queda nos números de internações e óbitos, porém em um nível elevado.

O estado de São Paulo tem atualmente 78% dos leitos em Unidades de Terapia Intensiva (UTI) ocupados por pacientes com Covid-19. Dados coletados pelo governo estadual indicam queda no número de pacientes, porém sem redução consistente no nível de ocupação.

Para João Gabbardo, coordenador-executivo do Centro de Contingência, a estagnação da taxa de ocupação em altos níveis se deve à redução no número de leitos destinado à Covid-19, uma vez que hospitais, com a diminuição de pacientes, trocam a função dos leitos.

"O Centro de Contingência recomenda agirmos com responsabilidade, cautela e realizando uma abertura gradual e segura da nossa economia para evitar qualquer novo pico da Covid-19 no estado de São Paulo", disse Doria.

A fase de transição foi idealizada com o intuito de evitar a flexibilização brusca e o eventual aumento no número de casos que a mudança da fase vermelha para a laranja poderia provocar.

"Completamos 3 semanas de fase de transição e acompanhamos atentamente os números, todos os dias. Houve no meio da semana uma questão se estaríamos tendo aumento dos casos, mas não se confirma. Estamos em estabilização", afirmou Paulo Menezes, coordenador do Centro de Contingência da Covid-19 . 

O que muda?

  • Atividade comercial: atendimento presencial liberado das 6h às 21h, antes o tempo máximo de funcionamento das atividades não essenciais era até as 20h
  • Serviços gerais: bares, restaurantes, salões de beleza, atividades culturais, academias dentre outros também poderão operar com uma hora a mais no tempo permitido para atendimento presencial (6h às 21h). No entanto, o consumo local e a prática de atividades nesses estabelecimentos só poderá ser feita com 30% da capacidade de ocupação.

  • Parques: atividades em parques estaduais e municipais estão permitidas entre 6h e 18h todos os dias. Às 18h desta sexta-feira o governado estadual inaugura a iluminação da ciclovia do Rio Pinheiro, que passará a operar a partir de amanhã com horário de funcionamento restringido até as 21h. Os ciclistas devem utilizar máscaras.

  • Toque de restrição: cidadãos do estado de São Paulo que não atuam em atividades essenciais poderão transitar livremente somente entre os horários de 21h e 5h da manhã, visando evitar o fluxo e as aglomerações durante a madruga, sob pena de multa em caso de descumprimento.