Um terço dos moradores de SP já teve contato com o coronavírus, diz Prefeitura

33,5% dos participantes do inquérito sorológico apresentaram anticorpos para o vírus

Estadão Conteúdo
13 de maio de 2021 às 18:00 | Atualizado 13 de maio de 2021 às 18:01
Movimento intenso de passageiros na plataforma da Estação da Luz, em SP
Movimento intenso de passageiros na plataforma da Estação da Luz, na região central de São Paulo
Foto: Bruno Rocha - 15.mar.2021/Enquadrar/Estadão Conteúdo

Um inquérito sorológico da prefeitura de São Paulo, divulgado nesta quinta-feira (13), indica que um terço da população do município já teve contato com o coronavírus. Feito com 1.521 amostras, o estudo identificou anticorpos em 33,5% dos participantes.

Na pesquisa anterior, em fevereiro, 25% dos paulistanos haviam tido contato com a doença. O crescimento considerável pode ser atribuído à disseminação da variante mais transmissível do coronavírus identificada pela primeira vez em Manaus, a chamada P1.

A população entre 18 e 34 anos registrou a maior prevalência de anticorpos, com 35,1%, índice maior do que os registrados entre as pessoas de 35 a 49 anos (28,7%) e as de 50 a 64 anos (28%). Os números para as faixas etárias acima dos 65 anos não foram divulgados, visto que as amostras de pessoas já vacinadas foram descartadas.

Ainda segundo estudo, a estimativa de prevalência da Covid-19 na zona sul (39,1%) e norte (34,4%) se destacam com os maiores índices, seguidas pela zona leste (33,3%), sudeste (29,6%) e, por fim, centro-oeste (27,2).

A pesquisa indica também que as regiões mais pobres registraram as maiores taxas de contato, com as zonas de IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) baixo reportando 36,2% de amostras com anticorpos. Já nas faixas de IDH alto, a taxa de prevalência ficou em 20,1%.