Em experimento sobre eficácia, Botucatu (SP) inicia imunização em massa

Neste domingo (16), moradores de até 18 anos poderão receber a primeira dose da vacina de Oxford/AstraZeneca contra a Covid-19

Leonardo Guimarães, da CNN, em São Paulo
16 de maio de 2021 às 06:00
Frasco com vacina de Oxford/AstraZeneca
Frasco com vacina de Oxford/AstraZeneca
Foto: Benoit Tessier/Reuters (5.mar.2021)

Este domingo (16) será especial para os moradores da cidade de Botucatu, no interior. Isto porque cerca de 60 mil deles – quase 60% da população acima de 18 anos – devem receber hoje a vacina contra a Covid-19 desenvolvida pela Oxford em parceria com a AstraZeneca. 

O objetivo é que todos os 106 mil habitantes com mais de 18 anos da cidade recebam as duas doses da vacina. 

A Prefeitura de Botucatu preparou uma escala por idade para organizar a imunização neste domingo. Primeiro, os moradores com idades entre 51 e 60 anos comparecem aos pontos de vacinação, das 8h às 10h30; depois, moradores com 41 a 50 anos – das 10h30 às 13h; moradores com idades entre 31 e 40 anos serão vacinados das 13h às 15h30; moradores que têm entre 18 e 30 anos devem ir aos postos das 15h30 às 18h. 

Os habitantes precisam fazer um cadastro no site Vacina Já, apresentar título de eleitor, documento oficial com foto e comprovante de endereço. 

Os locais de vacinação serão os mesmos de votação. A imunização em massa é feita em parceria com a Justiça Eleitoral. 

Teste de eficácia

A imunização em massa faz parte de um estudo do Ministério da Saúde que vai testar a eficácia do imunizante contra cepas do coronavírus. O órgão explicou que escolheu Botucatu para o teste porque a cidade tem condições ideias para o teste. 

O estudo tem a participação da Universidade de Oxford, do laboratório AstraZeneca, a Fundação Oswaldo Cruz, que produz as doses no Brasil, a Fundação Gates, a Universidade Estadual Paulista (Unesp) e a Prefeitura de Botucatu. 

Além de analisar a eficácia da vacina contra cepas do coronavírus, o Ministério da Saúde vai comparar a eficiência da vacinação em massa em relação aos outros municípios da região. 

Um projeto parecido já foi posto em prática na cidade de Serrana, também no interior de São Paulo. Lá, o objetivo foi testar a eficácia da CoronaVac contra a transmissão do novo coronavírus e a queda de mortes na cidade. A vacinação em massa começou em fevereiro. 

Dos 30 mil aptos a receber a vacina, 27.160 moradores foram vacinados com a primeira e segunda doses. Apenas 562 pessoas tomaram a primeira dose, mas desistiram de receber a segunda.