Rio: Vacinados poderão visitar pacientes com Covid nos hospitais

Nova resolução da Secretaria de Saúde permite a presença de pessoas que comprovem a imunização com duas doses de vacina contra o novo coronavírus

Thayana Araujo e Pauline Almeida, da CNN, no Rio de Janeiro
17 de maio de 2021 às 08:49 | Atualizado 17 de maio de 2021 às 12:57

Uma nova resolução da Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro, divulgada nesta segunda-feira (17), autoriza visitas aos pacientes com o novo coronavírus internados em hospitais da capital fluminense.

Para isso, os visitantes precisam ter completado o esquema vacinal, ou seja, ter recebido a segunda aplicação da vacina contra o novo coronavírus há pelo menos 14 dias, e devem apresentar um comprovante com foto.

A novidade publicada no Diário Oficial do Município vale para todas as unidades de saúde da capital, que terão autonomia para determinar regras como quantidade de visitas por dia e necessidade de pré-agendamento ou não.

As medidas de proteção à Covid-19, tais como uso de máscaras e higienização de mãos, também são condições para a presença nos hospitais.

O Secretário Municipal de Saúde, Daniel Soranz, afirmou para a CNN que a decisão foi tomada levando em consideração estudos que afirmam existir um nível de segurança nas circunstâncias estipuladas. 

“Estudos bastantes robustos mostram a eficácia da vacina após 14 dias depois da segunda dose, com alto grau de proteção. Mas mesmo assim esses visitantes deverão usar máscaras e equipamentos de proteção individual”, explicou.

Outro ponto que contribuiu para essa medida foi o apelo dos próprios cariocas que, segundo Soranz, têm sofrido com a impossibilidade de acompanhar de perto seus familiares internados. “A gente passou um ano muito difícil em que os pacientes não podiam receber visitas justamente com risco do visitante pegar Covid-19 ou transmitir a doença. Essa é uma demanda muito grande da população.”

Cada hospital vai ter seu regulamento sobre o esquema de visitação", explicou Soranz, destacando que a nova regra vale tanto para alas de Covid-19 como para UTI.

Até esta segunda-feira (17), apenas integrantes da equipe médica eram autorizados nas chamadas "alas Covid”.

A visita só era possível no caso de internação prolongada, ou seja, ao paciente infectado há mais de 15 dias e transferido para enfermaria ou UTI das alas comuns.

(Com informações de Marcela Monteiro, da CNN, no Rio de Janeiro)

Leito de UTI no Rio de Janeiro para tratamento de pacientes com Covid-19
Foto: Divulgação/Prefeitura do Rio