Mais de 3 mil casos são detectados de infecção por fungos em 5 estados indianos

"Agora temos um novo desafio com o fungo. Precisamos ser cautelosos e nos preparar para isso”, disse primeiro-ministro Narendra Modi

Esha Mitra, da CNN em Nova Delhi
21 de maio de 2021 às 10:52 | Atualizado 21 de maio de 2021 às 11:53
Profissional de saúde indiano
Infecção fúngica tem afetado pacientes com Covid-19 em vários estados da Índia
Foto: Sunil Ghosh/Hindustan Times via Getty Images

Pelo menos 3.207 casos de uma infecção por fungo chamada de mucormicose foram relatados em cinco estados indianos: Maharashtra, Madhya Pradesh, Haryana, Telangana e Gujarat.

Maharashtra relatou mais de 2.000 casos, de acordo com o Ministério da Saúde indiano na semana passada. Cerca de 573 casos foram detectados em Madhya Pradesh, de acordo com o ministro-chefe do estado, Shivraj Chauhan, na quarta-feira.

O ministro também pediu a formação de uma força-tarefa para monitorar a doença no estado, de acordo com uma publicação no Twitter da Secretaria de Informação do estado na última terça-feira.

Pelo menos 115 casos foram detectados em Haryana e 150 em Telangana, de acordo com autoridades de saúde estaduais, e pelo menos 369 casos foram encontrados em um hospital de Gujarat.

“Agora temos um novo desafio dessa infecção. Precisamos ser cautelosos e nos preparar para isso”, disse o primeiro-ministro Narendra Modi nesta sexta-feira (21), enquanto discursava em uma reunião de médicos no distrito eleitoral dele, Varanasi, no estado de Uttar Pradesh.

Pelo menos sete estados — Telangana, Tamil Nadu, Rajasthan, Odisha, Haryana, Gujarat e Karnataka — declararam a doença uma doença notificável de acordo com o conselho do governo central para coletar dados sobre o número de casos relatados.

No início de maio, os médicos indianos começaram a dar o alarme sobre o aumento da mucormicose. Muitos dos infectados são pacientes com Covid-19 ou aqueles que se recuperaram recentemente da doença, cujos sistemas imunológicos foram enfraquecidos pelo vírus ou que apresentam comorbidades, principalmente diabetes.