338 mil pessoas não voltaram para tomar segunda dose da vacina em São Paulo

Sem a segunda dose, indivíduo não tem a proteção completa do imunizante

Anna Satie, da CNN em São Paulo
26 de maio de 2021 às 13:30 | Atualizado 26 de maio de 2021 às 13:54
Governo prevê entregar 40  milhões de doses da vacina contra a Covid-19 em junho
Governo prevê entregar 40 milhões de doses da vacina contra a Covid-19 em junho (24-05-2021)
Foto: Reprodução / CNN

A coordenadora do Plano Estadual de Imunização contra Covid-19 em São Paulo, Regiane de Paula, anunciou nesta quarta-feira (26) que 338 mil pessoas no estado não retornaram para tomar a segunda dose da vacina contra Covid-19. 

"O esquema completo vacinal é de primeira dose e segunda dose. Por favor, aqueles que não voltaram para tomar a segunda, seja a do Butantan ou a vacina da Fiocruz, todos os municípios têm essa vacina", disse. "A gente aguarda que você procure a Unidade Básica de Saúde mais próxima e complete o esquema vacinal, isso é muito importante". 

Sem a segunda dose da vacina, o indivíduo não tem a proteção completa do imunizante. O intervalo da Coronavac é de 14 a 28 dias; da Oxford/AstraZeneca e Pfizer, de 12 semanas.

Até esta quarta, 16.365.238 doses da vacina foram aplicadas no estado. Dessas, 10,8 milhões são referentes à primeira dose e 5,5, à segunda. 

As vacinas contra a Covid-19 garantem proteção porque previnem a doença, especialmente nas formas graves, reduzindo as chances de morte e internações.

Embora não impeçam o contágio e nem a transmissão do vírus, a vacinação é essencial, já que induz o sistema de defesa do corpo a produzir imunidade contra o coronavírus pela ação de anticorpos específicos, segundo a Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm).