Prefeito do Rio se posiciona a favor do uso da máscara após vacinação

Paes fez um apelo para que os cariocas continuem se protegendo; a capital fluminense segue com todas as áreas em risco alto de contaminação pelo coronavírus

Isabelle Saleme, da CNNm no Rio de Janeiro
11 de junho de 2021 às 09:36
Eduardo Paes (DEM)
O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes
Foto: Daniel Resende/Enquadrar/Estadão Conteúdo

O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, afirmou nesta sexta-feira (11) que é favorável ao uso de máscara mesmo após a vacinação contra a Covid-19 e fez um apelo para que os cariocas continuem usando o equipamento de proteção individual.

“É quente, é chato, mas ainda é necessário. Então a gente pede aos cariocas que, estamos chegando lá, não vamos esmorecer”, disse o prefeito. 

Os efeitos da campanha de vacinação começam a ser sentidos entre os grupos já vacinados. Se em março de 2020, 52,7% das internações por Covid-19 eram entre pessoas de 60 anos ou mais, neste mês a taxa de hospitalizações para essa faixa etária caiu para 37,1%. 

A declaração foi durante a apresentação de mais um Boletim Epidemiológico no Centro de Operações da Prefeitura e acontece após a fala do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) sobre o fim da obrigação do uso de máscaras para vacinados ou pessoas já infectadas pelo coronavírus

Segundo o levantamento feito pela Secretaria Municipal de Saúde, a cidade mantém uma tendência de queda no número de casos e de mortes provocadas pelo coronavírus. No entanto, segue com todas as áreas em risco alto de contaminação pela doença, assim como nas semanas anteriores.

Sobre as novas variantes, foram confirmados essa semana 57 novos casos. Já são 604, sendo 491 entre moradores da cidade. A maior parte dos casos é da cepa que teve origem em Manaus.

Capacidade de vacinação

O Rio de Janeiro tem capacidade de vacinar 70 mil pessoas por dia. Para isso, no entanto, é necessário receber mais doses de imunizante. 

“A prefeitura opera na metade da capacidade de vacinação. Se chegar mais doses a gente vacina”, afirmou Paes, que quer vacinar todos os cariocas com 50 anos ou mais até a próxima sexta-feira (18). 

Até agora, a prefeitura já vacinou com a primeira dose 46% da meta de 5.279.803 pessoas.

Manutenção de restrições 

A Prefeitura prorrogou até o dia 28 de junho as medidas restritivas já em vigor. Sendo assim, continua suspenso o funcionamento de boates e salões de dança. O decreto também impede a realização de festas que necessitem de autorização transitória em áreas públicas e particulares. 

As atividades em casas de espetáculo e concerto e as apresentações artísticas em espaços de evento deverão ter capacidade de lotação máxima somente com público sentado de 40% em locais fechados, 60% em locais abertos e distanciamento mínimo de 1,5 metros entre os participantes.

Rio de Janeiro
A cidade do Rio de Janeiro relaxou as medidas restritivas liberando rodas de samba e sem limite de horário para música ao vivo
Foto: Rafael Sacharny/Immagini/Estadão Conteúdo (31.maio.2021)

Está permitido o consumo em bares, lanchonetes, restaurantes, quiosques da orla, mas apenas para clientes sentados, com distanciamento mínimo de 1,5 metro entre cada conjunto composto por mesa e cadeiras, limitado a oito ocupantes.

Nas academias de ginástica, piscinas, centros de treinamento e condicionamento físico, a prefeitura libera as aulas coletivas, mas com a ocupação dos ambientes limitada a um indivíduo a cada quatro metros quadrados. Praias estão liberadas desde o último dia 7 de maio.