Ministério da Saúde confirma chegada de vacinas da Janssen após aval do FDA

Raquel Landim
Por Raquel Landim, CNN  
12 de junho de 2021 às 12:32 | Atualizado 12 de junho de 2021 às 16:15

Depois de obter autorização da FDA (Food and Drug Administration), órgão regulador dos Estados Unidos, a Jonhson & Jonhson vai enviar ao Brasil 3 milhões de doses de sua vacina contra a covid-19. Os imunizantes devem chegar na terça-feira no aeroporto de Guarulhos.

A FDA ampliou também o prazo de validade dessas vacinas. Ao invés de 27 de junho, as doses podem ser utilizados até 8 de agosto.

As vacinas foram produzidos na fábrica de Baltimore, Estados Unidos, confirmou o ministério da Saúde à CNN. O ministério informou que fará um pronunciamento mais tarde para esclarecer todos os detalhes.

 A fábrica de Baltimore, operada por um fornecedor da J&J, foi paralisada e enfrentou uma averiguação da FDA depois que o órgão regulador detectou mistura de substâncias das vacinas da J&J e da Astrazeneca. A planta produz ambos os imunizantes.

Johnson & Johnson testa vacina contra o coronavírus
Foto: Dado Ruvic/Reuters

 

A FDA decidiu descartar 60 milhões de vacinas da J&J feitos nessa planta, conforme o jornal "New York Times". Mas autorizou o uso e a exportação de 10 milhões de doses que teriam sido feitas antes do problema começar.

Segundo fontes do setor, essas doses serão enviadas ao Brasil, África do Sul, Colômbia e parte permanece nos Estados Unidos. Procurada, a J&J não se manifestou.

O governo brasileiro tem contrato para adquirir 38 milhões de doses das vacinas da J&J, mas a previsão era de entrega apenas no último trimestre do ano.

Agora essas 3 milhões de doses estão sendo antecipadas. Uma das vantagens do imunizante da J&J é a necessidade de aplicação de apenas uma dose. A vacina tem mais de 80% de eficácia.