Brasil recebe nova remessa de IFA, e Fiocruz produzirá mais 10 mi de vacinas

As vacinas produzidas serão entregues ao Ministério da Saúde no mês de agosto

Lucas Rocha, da CNN, em São Paulo, e Marcela Monteiro, da CNN, no Rio de Janeiro
17 de julho de 2021 às 20:29 | Atualizado 17 de julho de 2021 às 20:44

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) recebeu, neste sábado (17), uma nova remessa importada do ingrediente farmacêutico ativo, o IFA, para a produção da vacina contra a Covid-19. Os insumos foram recebidos no Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro (RioGaleão), às 19h30.

O novo lote é suficiente para a produção de cerca de 10 milhões de doses do imunizante da AstraZeneca pelo Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos (Bio-Manguinhos/Fiocruz). Segundo a Fiocruz, a nova remessa possibilitará entregas de doses ao Programa Nacional de Imunizações (PNI) no mês de agosto, após a realização das etapas de processamento final e controle de qualidade.

Com a entrega, foram enviados todos os 14 lotes de IFA previstos no contrato inicial com a farmacêutica AstraZeneca. Outros dois contratos preveem a entrega de IFA adicional para a produção de 70 milhões de doses, que serão distribuídas ao longo do segundo semestre. A Fiocruz tenta evitar que a fábrica de Bio-Manguinhos sofra qualquer interrupção no trabalho de produção da vacina por falta de insumos.

Está prevista, para o último trimestre, a entrega de vacinas com o IFA produzido inteiramente no Brasil pela Fiocruz. A partir desse momento o país deve ganhar maior autonomia no processo.

Até o momento, a Fiocruz entregou um total de 74,4 milhões de doses ao Programa Nacional de Imunizações (PNI). sendo 70,4 milhões produzidas em Bio-Manguinhos e 4 milhões importadas do Instituto Serum, da Índia. O total representa mais de 50% de todas as vacinas disponíveis no Sistema Único de Saúde (SUS). Na sexta-feira (16), a Fiocruz entregou para o Programa Nacional de Imunizações (PNI) mais 4,5 milhões de doses da vacina contra a Covid-19.