Secretário do RJ: Variante Delta reforça que ainda não dá para afrouxar medidas

Secretário estadual de Saúde do Rio, Alexandre Chieppe explica por que estado registra maior número de casos de cepa originária da Índia

Produzido por Isabelle Resende, da CNN, no Rio de Janeiro
20 de julho de 2021 às 11:22 | Atualizado 20 de julho de 2021 às 11:27

Com quase 100 casos da variante Delta do coronavírus identificados no Brasil, o estado do Rio de Janeiro registra mais de 70% deles: foram 74 notificações de pessoas infectadas pela cepa originária da Índia.

Em entrevista à CNN, o secretário estadual de Saúde do Rio, Alexandre Chieppe, explicou que o alto número de casos no estado se dá por causa do programa de testagem genômica, que concentra mais de 50% de todos os testes do país. 

"É importante deixar claro que esse estudo de sequenciamento de avaliação genômica não tem como objetivo chegar a números absolutos de casos da variante Delta. O que importa aqui é a proporção", disse Chieppe. "A conclusão que chegamos é que a variante Delta vem avançado de forma muito rápida no estado do Rio e no Brasil."

Por isso, o secretário alertou que o momento é de cautela para evitar que a nova cepa se torne predominante no país. 

"Neste momento, enfatizamos muito a necessidade das pessoas se vacinarem, comparecerem para receber a segunda dose e, principalmente, não é momento do afrouxamento das medidas de proteção"

Alexandre Chieppe, secretário estadual de Saúde do Rio

Chieppe reforçou que as ações de prevenção individual, como o uso de máscara e álcool em gel, e as medidas coletivas, que envolvem distanciamento social, ainda se fazem muito necessárias.

"Ainda não sabemos como essa variante irá se comportar. O que cabe a nós é monitorar muito de perto o número de casos e nos prepararmos para uma eventual subida deles, algo que não temos como prever nesse momento."

Testes de laboratório identificam pacientes com variantes da Covid-19 (29.Mai.2021)
Foto: Reprodução/CNN