82% de hospitalizados por Covid-19 têm manifestações neurológicas em estudo

Manifestações neurológicas incluem dor corporal, dor de cabeça, tontura, encefalopatia, distorção do paladar e perda do olfato. Estudo observou 509 pacientes

Tratamento de paciente com coronavírus em leito de UTI
Tratamento de paciente com coronavírus em leito de UTI Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil

Por Giulia Alecrim,

da CNN, em São Paulo*

Ouvir notícia

Manifestações neurológicas, tais como dor corporal, dor de cabeça, tontura, encefalopatia, distorção do paladar e perda do olfato foram identificadas em 82% dos pacientes hospitalizados com Covid-19 em um estudo americano.

A constatação foi observada por pesquisadores da Universidade de Medicina de Feinberg que realizaram um estudo com 509 pacientes em um hospital da cidade de Chicago, Illinois, e publicado nesta segunda-feira (05) na revista Annals of Clinical and Translational Neurology.

Leia também:
Percentual de norte-americanos que querem tomar a vacina da Covid-19 está caindo

Governo federal vai testar vacina da tuberculose contra Covid-19

A frequência dessas manifestações e os fatores de risco associados permanecem desconhecidos, mas foi observado que a incidência de manifestações neurológicas está ligada à quadros graves do novo coronavírus e em pacientes mais jovens.

Dos 509 pacientes totais analisados, 419 (82%) tiveram manifestações neurológicas em todo o curso da doença, enquanto 215 (42%) relataram manifestações no início do diagnóstico e 319 pacientes (62,7%) na admissão hospitalar. 

A encefalopatia foi associada ao aumento da morbidade e mortalidade em 30 dias de hospitalização, independentemente da gravidade da doença respiratória – homens mais velhos, com histórico de distúrbios neurológicos, câncer, diabetes, hipertensão, e com problemas no coração e no rim eram mais propensos a ter a doença cerebral.

Outras manifestações, como derrames, distúrbios de movimento e sensoriais e convulsões, apesar de terem sido pouco incidentes, também foram observados em 1.4% dos pacientes. Já a necessidade de ventilação mecânica em pacientes com doença respiratória grave foi observada em 26.3% dos casos.

* Sob supervisão por Evelyne Lorenzetti

Mais Recentes da CNN