Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Água, cortinas, filtro solar: saiba como amenizar o calor em meio a altas temperaturas

    Diversos locais do país podem registrar temperaturas históricas para essa época do ano, de acordo com a Climatempo

    Onda de calor extremo deixou 112 pessoas com 65 anos de idade ou mais mortas
    Onda de calor extremo deixou 112 pessoas com 65 anos de idade ou mais mortas Reprodução Reuters

    Da CNN

    Diante de uma onda de calor sufocante, diversos locais do país podem registrar temperaturas históricas para esta época do ano, de acordo com a Climatempo. O alerta é de que o calor intenso pode, inclusive, representar riscos para a saúde da população.

    O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) emitiu um aviso especial de nível laranja, que indica perigo, válido até as 18h do próximo dia 22. Segundo o Inmet, é possível que a situação piore após sexta-feira (22).

    Em áreas das regiões Centro-Oeste e Norte, além do interior de São Paulo, especialmente, as temperaturas máximas devem passar dos 40°C. Na capital paulista, são esperadas temperaturas máximas acima dos 35°C a partir de sexta-feira.

    Confira algumas dicas para lidar com o calor extremo:

    Beba água

    A água é essencial para a hidratação humana, regulando a temperatura corporal e ajudando no transporte de oxigênio, nutrientes e sais minerais.

    De acordo com, Wendell Porter, professor emérito de engenharia agrícola e biológica da Universidade da Flórida, a temperatura da água não é relevante, porque o próprio organismo irá aquecê-la.

    “Quando a pessoa sente sede já é um sinal de desidratação. Então temos que prestar bastante atenção. Um cálculo interessante para saber a quantidade de água a ser ingerida por dia é multiplicar cada quilograma do corpo por 0,035. Se a pessoa pesa 70 kg, por exemplo, basta multiplicar por 0,035”, sugere a nutricionista Gabriela Cilla.

    Para quem tem dificuldade para consumir água, vale colocar despertadores e deixar garrafas próximas aos ambientes mais frequentados, recomenda Cilla.

    Aposte em frutas, legumes e vegetais

    Os alimentos in natura costumam ser as melhores opções para os dias quentes, porque possuem alto percentual de água.

    Segundo informações do Ministério da Saúde, o “leite e boa parte das frutas contêm de 80% a 90% de água. Verduras e legumes cozidos ou na forma de saladas costumam ter mais do que 90% do seu peso em água. Um prato de feijão com arroz é constituído de dois terços de água”.

    Cilla complementa a recomendação citando alguns dos alimentos mais ricos em água: “melancia, morango, maçã, laranja, por exemplo. Além de verduras verde-escuras, como pepino, couve-flor e brócolis”.

    O consumo desses alimentos e de chás gelados também pode ajudar a aumentar a ingestão diária de líquidos para aqueles que têm dificuldade de beber água, explica a nutricionista.

    Use ventiladores

    Os ventiladores são aliados conhecidos dos dias quentes. Mas a dica é posicionar os equipamentos voltados para as janelas dos ambientes, de modo que o ar quente seja soprado para fora e substituído pelo ar frio.

    Manter as janelas abertas nos momentos menos quentes ou sem incidência do Sol também ajuda na ventilação do ambiente, reduzindo a temperatura da casa.

    Feche as cortinas

    Se as janelas ficarem voltadas para a direção do sol de manhã à tarde, é importante fechar as cortinas ou persianas para “evitar que o sol entre diretamente na casa e aqueça (o) interior”, disse Porter.

    As cortinas blackout — que bloqueiam a luz que vem de fora — podem ser ainda mais eficiente para isolar o ambiente e reduzir os aumentos de temperatura que aconteceriam durante o dia.

    Dica extra: use filtro solar!

    Embora não tenha como objetivo amenizar o calor, o filtro solar é indispensável para proteger a pele durante os dias mais quentes.

    O Ministério da Saúde recomenda que os protetores solares sejam “aplicados 30 minutos antes da exposição ao sol e reaplicados a cada duas horas ou após nadar, suar e se secar com toalhas”.

    Para se proteger do sol também vale usar acessórios de verão, como chapéus, guarda-sóis, óculos escuros e camisas de mangas longas com proteção UV.

    Por que está tão quente no Brasil?

    O Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE) de São Paulo explica que uma forte massa de ar seco está estacionada no Brasil, caracterizando um bloqueio atmosférico.

    Essa condição meteorológica impede a passagem de frentes frias e inibe a formação de nuvens que provocam tempestades.

    Além disso, o Inmet diz que a onda de calor que está atuando no país é promovida por essa condição de tempo seco e favorecida pela “subsidência atmosférica”, ou seja, quando a pressão atmosférica entre a superfície e níveis médios da atmosfera aumenta.

    Esse movimento inibe o desenvolvimento de nebulosidade e aumenta a temperatura da massa de ar. Ainda de acordo com o órgão federal, o bloqueio atmosférico será intensificado entre a quinta-feira (21) e o final de semana.

    Conforme explicou a meteorologista da MetSul, Estael Sias, à CNN“[O calor] cria o mecanismo de feedback, em que o ar seco esquenta mais a atmosfera e a atmosfera acaba deixando o ar mais seco. Ele forma uma verdadeira cúpula de calor. A gente tem que imaginar como se fosse uma tampa de panela segurando esse calor em superfície e a cada dia que passa mantendo esse ar seco”.

    *Publicado por Renata Souza. Com informações de Kristen Rogers, da CNN.