“Ainda não faz sentido tirar as máscaras”, diz infectologista Renato Kfouri

Diretor da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm) também reforçou importância da dose de reforço para o controle da transmissão da Covid-19

Gabriel Fernedada CNN

Em São Paulo

Ouvir notícia

O diretor da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm), Renato Kfouri, disse em entrevista à CNN nesta quarta-feira (24) que ainda não é hora de se discutir o fim da obrigatoriedade do uso de máscaras de proteção.

“A máscara acho que a gente não devia nem discutir isso. Falar em tirar quando temos circulação em plena pandemia, uma medida barata, gratuita, que não faz mal a ninguém… não traz benefício você tirar a máscara”, defendeu o infectologista.

“Acho que é uma discussão que deveria nem estar sendo feita. Máscara é para continuar se usando sempre que possível em qualquer ambiente. Isso é uma medida que funciona na prevenção da transmissão.”

Kfouri também comentou sobre o momento da vacinação no Brasil, indicando que os resultados atuais se devem principalmente à continuidade da campanha de imunização.

“Provavelmente nossa situação agora de melhor controle de transmissão se dá fruto de uma vacinação mais recente. Mesmo países com cobertura vacinal parecidas com a nossa estão vivenciando outra onda, porque vacinaram antes. O fenômeno de perda de proteção com o passar do tempo parece ser comum a todas as vacinas e países”.

Segundo o diretor da SBIm, há tendência de perda de proteção das vacinas no Brasil, e isso reforça a importância da dose de reforço.

“A tendência, com o passar dos meses, é haver uma perda de proteção conferida por essas vacinas. Aí a importância da dose de reforço. Talvez o tripé para conseguirmos manter esse controle seja uma boa parte da população [estar] vacinada, incluindo crianças e adolescentes, coberturas vacinais altas com duas doses e doses de reforço para aqueles que vão perdendo sua proteção”, concluiu.

Mais Recentes da CNN