Apenas pessoas com sintomas devem procurar testagem no Rio, diz secretário

Novo ponto de teste para a Covid-19 foi instalado no Estádio Nilton Santos, na Zona Norte da capital fluminense

Ponto de testagem para a Covid-19 na cidade do Rio de Janeiro
Ponto de testagem para a Covid-19 na cidade do Rio de Janeiro Tomaz Silva/Agência Brasil

Rachel Amorimda CNN

no Rio de Janeiro

Ouvir notícia

A cidade do Rio de Janeiro ganhou, neste sábado (15), mais um posto de testagem para a Covid-19, no Estádio Nilton Santos, na Zona Norte da capital. É o primeiro posto no modelo drive-thru inaugurado no Rio.

Durante a manhã e tarde deste sábado, motoristas formaram filas em frente ao Estádio do Engenhão para a realização dos testes. Segundo a prefeitura, o local tem capacidade para realizar até 4 mil testes de antígeno por dia.

O secretário municipal de Saúde do Rio, Daniel Soranz, que acompanhou o início das testagens no Estádio Nilton Santos, recomendou que apenas quem apresentar sintomas procure os postos de testagem.

Segundo ele, não é possível proibir a testagem de alguém que não tenha sintomas os cidadãos devem agir com bom senso neste momento da pandemia.

“Nossa recomendação para a população é que só teste se você tiver sintomas. Se você não tem sintoma, evite procurar uma unidade de saúde neste momento. A Covid está disseminando muito rápido, a variante Ômicron é muito mais rápida que as demais variantes. Então, a nossa recomendação é que as pessoas só procurem uma unidade de saúde se realmente for necessário”, ressaltou Soranz.

De acordo com o secretário municipal de Saúde, a cidade do Rio conta atualmente com 240 postos de testagem para atender a demanda que aumentou consideravelmente nas últimas semanas.

Segundo o mapa de risco da Covid-19, divulgado na sexta-feira (14) pela Secretaria de Estado da Saúde, houve aumento de 38% de positividade dos testes de diagnóstico molecular (RT-PCR) realizado nas duas últimas semanas de janeiro no estado.

Os postos de testagem na capital funcionam de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h.

Mais Recentes da CNN