Aplicativo que recomendava remédios sem comprovação contra Covid-19 sai do ar

Plataforma do Ministério da Saúde, TrateCOV foi lançada em Manaus no último dia 11

Anna Satie, da CNN em São Paulo

Ouvir notícia

 

O aplicativo do Ministério da Saúde TrateCOV, lançado em Manaus no último dia 11 de janeiro, estava fora do ar nesta quinta (21). 

A plataforma, voltada para profissionais de saúde, tinha como objetivo auxiliar no diagnóstico da Covid-19 e recomendava uma série de remédios sem comprovação de eficácia contra a doença. Hidroxicloroquina, cloroquina, ivermectina, azitromicina e doxiciclina poderiam ser recomendados, dependendo dos sintomas apresentados pelo paciente.

Aplicativo do Ministério da Saúde, TrateCOV
Aplicativo do Ministério da Saúde, TrateCOV
Foto: Reprodução/Casa Civil (14.jan.2021)

Em nota, o Ministério informou que o aplicativo era um “projeto-piloto” e não funcionava oficialmente, era apenas um “simulador”. “No entanto, o sistema foi invadido e ativado indevidamente – o que provocou a retirada do ar, que será momentânea”, disse.

A pasta não deu prazo para o retorno do aplicativo. 

Mais cedo, o CFM (Conselho Federal de Medicina) emitiu um comunicado em que diz ter solicitado ao Ministério da Saúde a “retirada imediata do ar do aplicativo TrateCov”.

De acordo com o órgão, a ferramenta não preserva o sigilo das informações e não deixa claro como serão utilizadas, permite o preenchimento por pessoas não especializadas e induz à automedicação, além de assegurar “validação científica a drogas que não contam com esse reconhecimento internacional”. 

Mais Recentes da CNN