Após aprovação na Suíça, Anvisa deve acelerar registro de vacina da Pfizer

Kenzô Machida, da CNN em Brasília

Ouvir notícia

 

O registro da vacina da Pfizer na Suíça em procedimento padrão, ou seja, que não é emergencial, deve acelerar o processo de registro no Brasil. De acordo com a apuração da CNN, existe um acordo bilateral entre Brasil e Suíça e isso permite uma maior troca de informações entre as agências reguladoras dos dois países.

No final de setembro, a Anvisa anunciou um acordo de cooperação internacional de cooperação técnica com diversos países, entre eles a Suíça. A cooperação técnica em vigilância sanitária tem o objetivo de favorecer a troca de experiências e o aproveitamento das melhores práticas regulatórias executadas por diferentes autoridades sanitárias. A adesão deve facilitar o processo de certificação do imunizante.

Leia e assista também:
CEO da BioNTech: Vacina pode ser ajustada para combater nova variante da Covid
OMS convoca reunião sobre nova variante do coronavírus
Doses são suficientes, mas vacina atrasada obriga seleção de grupos prioritários
Joe Biden, presidente eleito dos Estados Unidos, recebe vacina contra a Covid-19

A CNN apurou que a Anvisa já solicitou a autoridade reguladora de saúde da Suíça, a Swissmedic, dados do imunizante.  A agência reguladora brasileira quer saber como foi feito o processo de registro da vacina na Suíça.

A análise feita pela Swissmedic durou dois meses e concedeu a autorização para a vacina em uma revisão contínua dos documentos apresentados.

Acerca do acordo entre Brasil e Pfizer, o principal impasse sobre os termos do acordo para a compra da vacina da Pfizer é que a farmacêutica disse que não poderia se responsabilizar por qualquer efeito adverso. Esse item estaria no documento final a ser firmado entre o Brasil e a farmacêutica.

Nas tratativas com o Brasil, a empresa tem dito que a vacina está sendo produzida e estudada em tempo recorde, por conta da pandemia, e que as pesquisas sobre seus efeitos e sua eficácia devem seguir.

A CNN apurou que o governo federal deve assumir o risco e não ficar de fora da compra da vacina da Pfizer. Uma reunião entre a farmacêutica e o Ministério da Saúde esta marcada para esta terça-feira (22) a tarde.

Mais Recentes da CNN