CEO da BioNTech: Vacina pode ser ajustada para combater nova variante da Covid

"Eu não acredito que seja necessário. Mas caso seja, existe uma possibilidade técnica de fazê-lo", afirmou Ugur Sahin

Fred Pleitgen, da CNN
22 de dezembro de 2020 às 12:54 | Atualizado 26 de fevereiro de 2021 às 10:04
Vacina contra Covid-19 da Pfizer-Biontech deve chegar ao Reino Unido em 2 dias
Vacinas formuladas pela parceria entre Pfizer e BioNTech
Foto: Dado Ruvic - 10.nov.2020/Reuters

A vacina contra a Covid-19 formulada pela farmacêutica americana Pfizer e a parceira alemã BioNTech pode ser ajustada para melhor combater a nova variante da doença, disse Ugur Sahin, CEO da BioNTech, ao repórter da CNN Fred Pleitgen, em entrevista nesta terça-feira (22).

"Não podemos esquecer que ainda temos a oportunidade, se preciso for, de ajustar a vacina para combater exatamente esta nova variante do vírus", disse Sahin.

"Eu não acredito que seja necessário. Mas caso seja, existe uma possibilidade técnica de fazê-lo".

Leia também:
OMS convoca reunião sobre nova variante do coronavírus
Doses são suficientes, mas vacina atrasada obriga seleção de grupos prioritários
Joe Biden, presidente eleito dos Estados Unidos, recebe vacina contra a Covid-19

Sahin disse à CNN que a BioNTech está avaliando neste momento o quão efetiva é a vacina contra a variante recém-descoberta do SARS-CoV-2, que causou a proibição de viagens para o Reino Unido em diversos países. Sahin disse que possui "confiança científica" de que o imunizante permanece eficiente.

"Há uma probabilidade alta de que a resposta da vacina também será capaz de inativar esta nova cepa de vírus. Precisamos considerar que, ainda que nove aminoácidos tenham mudado na nova proteína, 99% dela permanece igual", afirmou Sahin, acrescentando que a BioNTech já detectou que partes da resposta imune não foram afetadas pela mutação.

Destaques do CNN Brasil Business:
Mutação do vírus da Covid-19 é maior preocupação do mercado financeiro para 2021
Impacto de mutação do vírus será contrabalanceado por vacina, diz ex-BC
McDonald's lança sanduíche de carne de porco com bolacha Oreo na China

"O que já fizemos é: avaliamos os sítios onde observamos respostas das células T contra as proteínas spike do vírus, e percebemos que quase todas as respostas foram conservadas. Então este é um bom sinal. Significa que pelo menos um dos componentes do sistema imunológico não será afetado por essa mutação", adicionou.

Freezers mantêm vacina da Pfizer refrigerada a aproximadamente -70ºC nos EUA
Freezers mantêm vacina da Pfizer refrigerada a aproximadamente -70ºC nos EUA
Foto: Pfizer

Na segunda-feira (21), o imunizante Pfizer/BioNTech recebeu aprovação do órgão de regulamentação de medicamentos da União Europeia, a Agência Europeia de Medicamentos. Sahin disse à CNN que as doses serão disponibilizadas o mais rápido possível e que as empresas já estão trabalhando para acelerar a produção.

"Estamos avaliando se podemos intensificar a produção nas fábricas da Pfizer e nas fábricas de Mainz [cidade alemã onde está a produção da BioNTech]. Existem múltiplas operações sobre o assunto, que estão avançando".

(Texto traduzido. Leia o original em inglês.)