Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Autotestes de Covid-19 aprovados: como funcionam, onde encontrar, quanto custam

    A Anvisa autorizou o uso de dois autotestes no país; cerca de 68 pedidos aguardam avaliação

    Autoteste para Covid-19
    Autoteste para Covid-19 Shutterstock

    Ingrid OliveiraLucas Rochada CNN

    em São Paulo

    Ouvir notícia

    A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) já autorizou o uso de autotestes de Covid-19 e registrou dois fabricantes para a comercialização no país.

    O autoteste é um produto que permite que a pessoa realize todas as etapas da testagem, desde a coleta da amostra até a interpretação do resultado, sem a necessidade de auxílio profissional. Para isso, as instruções de uso devem ser seguidas atentamente.

    Segundo a Anvisa, o autoteste não define um diagnóstico, que deve ser realizado por um profissional de saúde. O resultado do exame deve ser utilizado apenas como orientação.

    Mas, quando você poderá comprar, por qual preço e como funcionam os autotestes? A CNN ajuda a entender.

    Quais são os autotestes registrados

    A Anvisa aprovou a venda de autotestes de Covid-19 no Braisl no dia 28 de janeiro. Com a aprovação, fica permitida a venda dos exames por farmácias e estabelecimentos de saúde licenciados para comercializar dispositivos médicos. Permanece proibida a venda de autotestes em sites que não pertençam a farmácias ou estabelecimentos de saúde autorizados.

    Até o momento, dois estão registrados: o “Novel Coronavírus (Covid-19) Autoteste Antígeno”, da empresa CPMH Comércio e Indústria de Produtos Médico-Hospitalares e Odontológicos Ltda, e o “Autoteste COVID Ag Detect”, fabricado pela empresa Eco Diagnóstica Ltda.

    Saiba mais sobre eles abaixo:

    Novel Coronavírus (Covid-19) Autoteste Antígeno

    O produto Novel Coronavírus (Covid-19) Autoteste Antígeno foi aprovado para uso com amostra coletada a partir de swab (cotonete) nasal, de forma não profunda, com resultado após 15 minutos. O primeiro autoste aprovado pela Anvisa, no dia 17 de fevereiro, tem sensibilidade (capacidade de detectar a presença do vírus)de 98,38%.

    O autoteste inclui os seguintes componentes: 1 swab (cotonete) de coleta, 1 cartão teste (cassete) fornecido em sachê aluminizado e 1 tubo plástico com líquido (solução tampão para extração), além da bula com as instruções de uso.

    À CNN, a assessoria da empresa CPMH disse que a “previsão é de que o primeiro lote dos autotestes, com 20 milhões de unidades, chegue às farmácias e lojas de artigos médicos na próxima semana.”

    Questionados sobre os valores do produto, a CPMH afirma que “neste momento, a empresa não tem uma expectativa oficial sobre o preço dos autotestes.”

    Os representantes também informaram que, seguindo as exigências da Anvisa, haverá uma central de atendimento na qual profissionais da saúde esclarecem dúvidas sobre a correta utilização do autoteste.

    “O atendimento pode ser realizado por contato telefônico (0800), e-mail e mensagens via aplicativo WhatsApp. Por meio do link direcionado pelo QR Code da bula”, escreveram.

    Autoteste COVID Ag Detect

    O exame da Eco Diagnóstica Ltda., autorizado neste quarta-feira (23) tem 96,4% de sensibilidade na detecção do SARS-CoV-2.

    O kit conta com uma solução swab nasal (cotonete), uma solução diluente e tampa de filtro, um dispositivo teste e a bula com as instruções de uso.

    À CNN, a Eco Diagnóstica informou que os autotestes estarão disponíveis para distribuição nas farmácias do país em 7 de março. Sobre os preços, a companhia informou que o COVID Ag Detect deverá custar entre R$ 39,90 e R$ 69,90.

    A empresa disse ainda que aproximadamente quatro milhões de exames foram encomendados pelas farmácias do país.

    Onde comprar os autotestes

    O cidadão que apresentar sintomas, poderá poderá comprar os autotestes para pesquisa de antígeno de Covid-19 em farmácias e drogarias que estejam regularizadas junto à vigilância sanitária para comercialização desse tipo de produto.

    Os kits de testes também serão comercializados por estabelecimentos de saúde que estejam licenciados junto à Anvisa para comércio varejista (direto ao consumidor) de artigos médicos. Por exemplo, estabelecimentos que comercializam dispositivos médicos, tais como curativos, meias de compressão, órtese, entre outros.

    A Anvisa informa que a venda on-line só é permitida quando realizada diretamente pelos estabelecimentos citados acima. Não é permitida venda de autoteste em site de e-commerce, tais como Mercado Livre, Amazon, Americanas, dentre outros.

    A CNN entrou em contato com algumas redes de farmácia para saber informações de preços e datas, mas não conseguiu retorno até o momento do fechamento deste texto.

    A reportagem também falou com a Associação Brasileira Redes Farmácias Drogaria (Abrafarma), que representa as maiores redes de farmácias do país, com 8.900 lojas, mas que informou que não está participando das negociações comerciais.

    Quando o autoteste pode ser feito

    A Anvisa recomenda a utilização do autoteste entre o 1º e o 7º dia do início de sintomas como febre, tosse, dor de garganta, coriza, dores de cabeça e no corpo. Diante do contato com alguém que testou positivo e na ausência de sintomas, deve-se aguardar cinco antes de usar o autoteste.

    O que fazer com resultado positivo

    As recomendações da agência, caso o resultado seja positivo, envolvem uso de máscara e isolamento imediato. Os autotestes são utilizados para triagem, como uma abordagem primária, e existe a possibilidade de resultados errados, chamados de falso positivos.

    Neste sentido, a Anvisa recomenda orientação médica. É necessário que o paciente busque atendimento em um serviço de saúde para confirmação do diagnóstico e assim, receber acompanhamento.

    Mais Recentes da CNN