Baixa oferta de doses atrasará vacinação nos EUA para maio, diz Anthony Fauci

Casa Branca também anunciou fornecimento de 13,5 milhões de doses por semana para os estados

Vacina contra Covid-19 da Pfizer/BioNTech
Vacina contra Covid-19 da Pfizer/BioNTech Foto: Owen Humphreys/Pool via Reuters (8.dez.2020)

Da CNN

Ouvir notícia

O médico Anthony Fauci, diretor do Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas, disse em entrevista à CNN nesta terça-feira (16) acreditar que o processo de ampla vacinação no país deverá começar na primavera e que grande parte do público poderá ser vacinada até o final do verão no hemisfério norte, no segundo semestre.

Fauci reconheceu que estimativas anteriores colocaram a disponibilidade da vacina para o público em geral mais perto do final de abril. Ele disse que a disponibilidade da vacina para grande parte do público pode depender da candidata da Johnson & Johnson, que ainda não recebeu autorização de uso emergencial.

“Se você começar a falar sobre quando a vacina estaria mais amplamente disponível para a população em geral, eu esperava que fosse até o final de abril, ou seja, ter passado por todas as etapas e agora dizer, OK, qualquer um pode tomar”, disse Fauci. “Isso foi baseado no o produto Johnson, tendo considerado mais doses do que agora sabemos que eles vão ter.”

“Então, esse cronograma provavelmente será prolongado, talvez até meados de maio e início de junho” disse Fauci.

 

A Johnson & Johnson terá menos de 10 milhões de doses de vacina disponíveis se a Food and Drug Administration autorizar o uso emergencial do imunizante nas próximas semanas, disse um funcionário da área da saúde à CNN no início deste mês.

O funcionário disse que o número de doses disponíveis seria de até 9 milhões, mas esse número aumentaria para 20 ou 30 milhões de doses até abril.

O FDA agendou sua reunião de especialistas independentes para avaliar a vacina Johnson & Johnson e fazer uma recomendação em 26 de fevereiro.

Aumento de doses

O governo do presidente Joe Biden está novamente aumentando seu suprimento semanal de vacinas enviada aos estados, anunciou a secretária de imprensa da Casa Branca, Jen Psaki, nesta terça-feira.

Durante uma ligação com os governadores, o coordenador da Casa Branca da Covid, Jeff Zients, informou às autoridades que a administração está “aumentando o fornecimento de vacinas para 13,5 milhões de doses por semana para os estados”, disse Psaki — um aumento de 57% em relação aos níveis de inauguração.

Além disso, segundo Psaki, a administração “dobrará o fornecimento para nosso programa de farmácia”. Nesta semana, serão 2 milhões de doses enviadas às farmácias de todo o país, disse ela, com previsão de expansão nas próximas semanas.

Eventualmente, continuou Psaki, mais de 40.000 farmácias em todo o país fornecerão vacinas.

Esta notícia vem enquanto o governo Biden está trabalhando para ampliar rapidamente as vacinações quase quatro semanas após assumir o cargo em meio a alguma confusão dos governados estaduais.

 

Kevin Liptak, da CNN, relatou na segunda-feira que um grupo bipartidário de governadores expressou preocupação com o lançamento da vacina do governo Biden, escrevendo à Casa Branca que é necessária uma melhor coordenação entre o governo federal e os estados na distribuição de doses para evitar confusão e esforços duplicados.

O comitê executivo da National Governors Association, formado por democratas e republicanos, alertou sobre duas áreas de confusão que, segundo eles, causaram ineficiência: primeiro, os números divulgados publicamente pelos Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos para distribuição de vacinas; e, segundo, os sistemas federais de distribuição separados – incluindo um programa lançado recentemente para enviar vacinas diretamente às farmácias de varejo.

Texto traduzido. Clique aqui e aqui para ler os originais, em inglês.

Mais Recentes da CNN