Brasil recebe nova remessa com 1 milhão de vacinas da Pfizer contra a Covid-19

Mais 9,6 milhões de imunizantes da Pfizer chegarão ao país até o dia 22 de agosto

Vacina da Pfizer é preparada para uso por profissional da Saúde no Distrito Federal
Vacina da Pfizer é preparada para uso por profissional da Saúde no Distrito Federal Foto: Tony Winston - 10.mai.2021/Ministério da Saúde

Anna Gabriela Costa, da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

A farmacêutica Pfizer entregou ao Brasil, nesta terça-feira (10), mais 1.082.250 de doses de vacinas contra a Covid-19. O novo lote desembarcou no aeroporto de Viracopos, em Campinas (SP), por volta das 21h00. 

A remessa recebida nesta terça-feira faz parte da operação que prevê a entrega de 17 milhões de doses entre os dias 3 e 22 de agosto, em 17 voos com origem de Miami, nos Estados Unidos. 

As doses serão destinadas ao Programa Nacional de Imunizações (PNI), do Ministério da Saúde, que realiza a distribuição para estados e municípios. 

Com este lote, a Pfizer já entregou 38,2 milhões de doses ao país. Faltam 9,6 milhões, das 17,6 milhões de doses previstas até o dia 22 de agosto.

O lote recebido hoje faz parte do primeiro contrato, assinado entre o governo e a farmacêutica norte-americana, em março deste ano, que prevê 100 milhões de vacinas até o final de setembro.

Outro acordo, firmado em maio, estabelece outras 100 milhões de doses entre outubro e dezembro.

Vacina da Pfizer não requer ajustes às variantes até o momento

A BioNTech afirmou que repetir as aplicações da sua vacina contra a Covid-19, da qual mais de um bilhão de doses já foram fornecidas em todo o mundo, é uma estratégia melhor do que adaptar o produto desenvolvido em parceria com a Pfizer a novas variantes.

A empresa de biotecnologia alemã afirmou que oferecer uma terceira dose da vacina, estabelecida atualmente com um regime de duas doses, continua sendo a melhor resposta às preocupações sobre a diminuição da proteção imunológica diante da variante Delta altamente contagiosa, à medida que cepas piores podem surgir.

Mais Recentes da CNN