Brasil registrou 32,7 mil novos casos de HIV em 2020, diz Ministério da Saúde

Segundo o ministério, em 2020 houve uma redução de 25% na detecção de casos de HIV em relação a 2019

A maior incidência de casos (52,9%) foi registrada entre pessoas de 20 a 34 anos
A maior incidência de casos (52,9%) foi registrada entre pessoas de 20 a 34 anos Breno Esaki/Agência Saúde DF

Lucas Rochada CNN

São Paulo

Ouvir notícia

O Brasil registrou 32.701 novos casos de HIV em 2020, sendo 7,8 mil de gestantes. De 2007 a 2021, foram notificados 381.793 casos de infecção no país, sendo 69,8% dos casos em homens e 30,2% casos em mulheres. A maior incidência de casos (52,9%) foi registrada entre pessoas de 20 a 34 anos.

Os dados foram divulgados pelo Ministério da Saúde nesta quarta-feira (1º), Dia Mundial de Luta contra a Aids.

Segundo o ministério, em 2020 houve uma redução de 25% na detecção de casos de HIV em relação ao ano anterior, quando foram registrados 43.312 casos.

No período de 2010 a 2020, houve um aumento de 30,3% na taxa de detecção do vírus em gestantes. Em 2010, foram registrados 2,1 casos a cada mil nascidos vivos e, em 2020, essa taxa passou para 2,7. De acordo com o ministério, o aumento pode ser explicado, em parte, pela ampliação do diagnóstico no pré-natal e a melhoria da vigilância na prevenção da transmissão vertical do HIV.

Apenas três cidades brasileiras eliminaram da transmissão vertical do HIV, que é quando o vírus passa da mãe para o filho: São Paulo, Curitiba e Umuarama, no Paraná.

O ministério informou que a taxa de detecção de Aids em crianças menores de cinco anos apresenta redução nos últimos 10 anos.

De 2012 a 2020, 666 mil pessoas estiveram em tratamento contra a doença. De acordo com o Ministério da Saúde, 694 mil pessoas estão em tratamento contra a doença no país em 2021.

Mais Recentes da CNN