Carga de kit intubação começa a ser distribuída no país

Medicamentos vindos da China foram doados por empresas e vão aliviar colapso nos hospitais

Sandro Zeppi,

Da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

Os estados devem receber, no final de semana, os 2,3 milhões de medicamentos do kit intubação que chegaram ao Brasil na quinta-feira (15). A doação foi feita por um grupo de empresários ao Ministério da Saúde, pois alguns hospitais do país estão com o estoque zerado e muitos com estoque para poucos dias. A distribuição começou nessa sexta-feira (16).

Os remédios – essenciais no tratamento de pacientes que lutam contra Covid-19 – vieram da China. De acordo com a secretaria de Saúde de São Paulo, o estado deve receber do Ministério da Saúde 440 mil medicamentos que compõem o kit, como sedativos, neurobloqueadores musculares analgésicos. O governo paulista estima que essa quantidade seja suficiente para apenas 48 horas.

“Nós já estamos há 40 dias falando que teremos estoque para 7 dias e não tivemos problema, porque continuamos adquirindo pequenas quantidades de um e de outro fornecedo”, explicou o secretário estadual de Saúde de São Paulo, Jean Gorinchteyn.

Um levantamento da Confederação Nacional dos Municípios aponta que pode faltar medicamento em 975 cidades do país. No Rio de Janeiro, mais de 30 municípios estão com o kit intubação perto do fim. O governo federal diz que o estado é um dos que receberá a maior quantidade de remédios.

Medicamentos para intubação
Foto: Divulgação/AHERJ

Minas Gerais espera, para este fim de semana, uma remessa de remédios num momento de apreensão no estado: o estoque chegou a ser considerado crítico pelo governo mineiro, que relatou a carência de sedativos.

A falta de medicamentos do kit intubação atinge também a rede particular de saúde. Uma pesquisa do Sindicato dos Hospitais, Clínicas e Laboratórios do estado de São Paulo (Sindhosp) mostra que a maioria dos hospitais privados tem estoque destes medicamentos para até 10 dias.

Apenas 5% têm kit intubação para 15 dias e 20% para até um mês. De acordo com o Ministério, o volume deve garantir o abastecimento por 10 a 15 dias.

 

(Publicado por Sinara Peixoto)

Mais Recentes da CNN