Casal de médicos contrai coronavírus após casos positivos em hospital

A médica Juliana Ferranti sofreu com os sintomas durante uma semana; também médico, o marido dela foi infectado e foi internado

Da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

Pediatra intensivista, a médica Juliana Ferranti foi diagnosticada com coronavírus após o marido dela, que também é médico, manifestar sintomas da doença. Por uma semana, ela teve febre, tosse e dores de cabeça e pelo corpo. O marido, contudo, teve sintomas mais intensos e ficou internado.

À CNN, a profissional de saúde relatou, neste domingo (29), que a infecção pelo COVID-19 possivelmente foi resultado do contato do marido dela com pacientes diagnosticados com a doença. “Nas UTIs que eu trabalho todos os casos suspeitos que internamos até agora todos os casos que testamos deram negativos, mas meu marido teve contato, sim, com pacientes testados positivos”, disse. “Provavelmente, ele pegou primeiro e eu peguei dele, provavelmente. Meus sintomas começaram três ou quatro dias depois dos dele”, observou.

Para ela, os sinais de alerta que levantaram a hipótese de que aquela gripe não era comum estavam na duração dos sintomas. “Eu já tive a gripe pelo H1N1, com febre e dor no corpo, mas não como dessa vez. A febre foi mais alta. Acho que o mais importante foi isso: tudo se prolongou muito, diferente das outras vezes que já ficamos gripados. Por ter tido essa febre muito prolongada, a gente ficou mais preocupado”, relembrou.

A médica ainda avaliou que a parte mais difícil foi o isolamento. “O mais difícil é ficar isolado e não poder abraçar quem a gente ama. Meus pais ficaram preocupados, mas tiveram o carinho de cuidar a distância”, contou. “Quando é médico, a gente sempre pensa no pior, então tem que tomar cuidado para não deixar o medo entrar”, concluiu.

Internado desde quinta-feira (26), o marido de Juliana teve alta neste domingo (29) e agora se recupera em casa. 

Mais Recentes da CNN