Caso raro de ameba que destrói cérebro é confirmado na Flórida

Protozoário Naegleria fowleri pode contaminar fontes de água quente e infectar seres humanos pelas vias nasais. Casos geralmente são fatais

Protozoário Naegleria fowleri
Protozoário Naegleria fowleri Foto: Centers for Disease Control and Prevention/ Reprodução

Leah Asmelash,

da CNN

Ouvir notícia

Um caso de uma ameba rara que destrói o cérebro humano foi confirmado no estado americano da Flórida.

O Departamento de Saúde da Flórida anunciou na sexta-feira uma ocorrência do protozoário Naegleria fowleri – uma ameba microscópica unicelular que pode infectar e destruir o cérebro. Geralmente é fatal, afirmou o órgão.

Desde 1962, houve apenas 37 casos relatados desse tipo de ameba na Flórida. O mais recente foi encontrado no condado de Hillsborough, embora não tenham sido fornecidos mais detalhes.

A Naegleria fowleri é normalmente encontrada em água doce quente como lagos, rios e lagoas. O Departamento de Saúde alertou as pessoas que nadam nessas fontes de água doce a estarem cientes da possível presença da ameba, principalmente quando a água está quente.

“Efeitos adversos à saúde em seres humanos podem ser evitados, evitando o contato nasal com as águas, já que a ameba entra pelo nariz”, afirmou o Departamento de Saúde da Flórida.

A autoridade estadual de Saúde recomendou que pessoas protejam o nariz ao entrar em ambiente com água doce e quente, pois a contaminação – embora rara – é possível. 

Nos EUA, houve 143 casos infectados conhecidos da ameba, de acordo com o DOH da Flórida. Apenas quatro sobreviveram.

Mais Recentes da CNN