CDC: Assentos vazios em aviões podem reduzir exposição à Covid-19 em até 57%

Estudo publicado nesta quarta-feira (14) usa modelos de laboratório para simular o quanto as partículas do novo coronavírus podem se espalhar nos aviões

De máscara e distanciados, passageiros voam pela All Nippon Airways (Ana)
De máscara e distanciados, passageiros voam pela All Nippon Airways (Ana) Foto: James Matsumoto - 3.mar.2021/SOPA Images/LightRocket/Getty Images

Jacqueline Howard, da CNN

Ouvir notícia

Deixar assentos intermediários vagos em aviões pode reduzir significativamente o risco do passageiro de ser exposto ao coronavírus que causa a Covid-19, sugere um novo estudo.

O risco de exposição ao vírus pode ser reduzido em 23% em aeronaves de corredor único e em 57% em aviões com corredor duplo quando os assentos intermediários estão vagos em comparação com um voo de ocupação completa, de acordo com o estudo publicado nesta quarta-feira (14) pelos Centro para Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos EUA.

Pesquisadores do CDC e da Universidade do estado do Kansas usaram modelos de laboratório para simular o quanto a exposição às partículas de vírus poderia ser reduzida quando os assentos intermediários fossem mantidos vazios na cabine de uma aeronave.

Os modelos foram baseados na disseminação de aerossóis de bacteriófagos usados ??como substitutos para estimar a disseminação do coronavírus no ar. Bacteriófagos são vírus que podem infectar bactérias. 

A análise não mediu o impacto do uso de máscaras, que atualmente é necessário em voos, mas os pesquisadores notaram que algum aerossol de vírus ainda pode ser emitido por um passageiro mascarado infectado e, portanto, o distanciamento ainda pode ser útil.

Os modelos sugeriram que, com assentos intermediários vagos, a redução de risco variou de 23%, o que foi observado para um único passageiro que estava na mesma fila, mas dois assentos longe de um passageiro infectado, a 57%, observado quando os assentos intermediários estavam vagos em uma seção de três filas contendo uma mistura de pessoas com Covid-19 e outros passageiros.

“Quando os passageiros infectados e outros que teriam assentos do meio foram removidos, deixando seis passageiros infectados em um total de 12 passageiros restantes nos assentos na janela e no corredor, uma redução de exposição de 57% foi observada”, escreveram os pesquisadores em seu estudo.

“[No geral], é importante reconhecer que o estudo atual aborda apenas a exposição e não a transmissão”, escreveram os pesquisadores. Mais pesquisas são necessárias para determinar o risco de o vírus possivelmente ser transmitido e causar doenças.”

(Texto traduzido; leia o original em inglês)

Mais Recentes da CNN