Cidade do Rio tem 18 regiões administrativas com risco muito alto para Covid-19

Outras 15 áreas da capital do estado estão no segundo nível mais crítico para a doença

Banhistas no Rio de Janeiro (25 de abril 21)
Banhistas no Rio de Janeiro (25 de abril 21) Foto: Reprodução / CNN

Stéfano Salles, da CNN no Rio de Janeiro

Ouvir notícia

A cidade do Rio de Janeiro tem 18 de suas 33 regiões administrativas com risco muito alto para a Covid-19. Esse é o grau mais elevado utilizado pelo município, em uma escala de três níveis. As outras 15 áreas apresentam risco alto, a segunda classificação mais perigosa. Não há qualquer parte da cidade em situação moderada, considerada a mais leve das três.

As informações estão no Boletim Epidemiológico semanal, divulgado pelo município. Os dados representam um agravamento da pandemia na cidade. Na edição anterior, o boletim apontava 13 regiões administrativas com risco muito alto. As outras 20 apresentavam risco alto.

A classificação de risco da capital é baseada na combinação entre dois indicadores: números de internações e total de óbitos. Apesar de levarem nomes de bairros, as regiões administrativas representam um grupo deles.

Em “risco alto” estão as regiões do Centro, Santa Teresa, Botafogo, Copacabana, Lagoa, Rocinha, Barra da Tijuca, Cidade de Deus, Jacarepaguá, Campo Grande, Realengo, Tijuca, Madureira, Méier, Inhaúma, Jacarezinho, Complexo do Alemão e Irajá.

De acordo com o Mapa de Risco por Município, elaborado semanalmente pela Secretaria de Estado de Saúde (SES), apenas um município atingiu a classificação “muito alto”, e está avaliado com bandeira roxa para a Covid-19.

A pasta faz também uma classificação de risco regional. Nessa avaliação, a Região Metropolitana, mais populosa do estado, deixou a bandeira roxa e passou para a vermelha, a segunda mais grave. Essa é a primeira vez desde março que nenhuma das nove divisões formais do estado está no nível mais crítico.

Mais Recentes da CNN