Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Com Lula, Ministério da Saúde lança Movimento Nacional pela Vacinação nesta segunda (27)

    Iniciativa prevê ações para ampliar as coberturas de todas as vacinas disponíveis no Sistema Único de Saúde (SUS)

    Presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a ministra da Saúde, Nísia Trindade, participam de lançamento da campanha
    Presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a ministra da Saúde, Nísia Trindade, participam de lançamento da campanha Fátima Meira/Futura Press/Estadão Conteúdo

    Lucas Rochada CNN

    em São Paulo

    O Ministério da Saúde lança, nesta segunda-feira (27), um Movimento Nacional pela Vacinação. A iniciativa prevê ações para ampliar as coberturas de todas as vacinas disponíveis no Sistema Único de Saúde (SUS).

    O lançamento da campanha será realizado em Brasília com a participação do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e da ministra da Saúde, Nísia Trindade.

    Nesta primeira etapa, a imunização contra a Covid-19 terá reforço para os grupos prioritários em todo o país. A ampla campanha de imunização será focada inicialmente em idosos, pessoas com comorbidades e indivíduos com deficiência.

    Aumentar os níveis de cobertura vacinal contra a Covid-19 e outras doenças tem sido uma das prioridades da pasta chefiada por Nísia Trindade.

    Início da aplicação das vacinas bivalentes contra a Covid-19

    A partir desta segunda-feira, pessoas acima de 70 anos, imunocomprometidos, comunidades indígenas, ribeirinhas e quilombolas poderão receber uma dose de reforço contra a Covid-19 com a versão bivalente dos imunizantes – saiba como funcionam aqui.

    As vacinas bivalentes contam com cepas atualizadas contra o coronavírus, incluindo a proteção contra a variante Ômicron. Os imunizantes foram aprovados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) em novembro de 2022. Os primeiros lotes de vacinas bivalentes chegaram ao país em dezembro.

    São dois tipos de vacinas diferentes:

    • Bivalente BA.1 – protege contra a variante original e também contra a variante Ômicron BA1;
    • Bivalente BA.4/BA.5 – protege contra a variante original e também contra a variante Ômicron BA.4/BA.5.

    A campanha será dividida em etapas, confira:

    • Fase 1: pessoas acima de 70 anos, imunocomprometidos, comunidades indígenas, ribeirinhas e quilombolas;
    • Fase 2: pessoas entre 60 e 69 anos;
    • Fase 3: gestantes e puérperas;
    • Fase 4: profissionais de saúde.

    Imunização dos Yanomami

    Para os indígenas Yanomami, a iniciativa teve início no último sábado (25). A ação acontece na Casa de Saúde Indígena (Casai) de Boa Vista, em Roraima e se estenderá para as comunidades nos próximos dias. O início da campanha foi antecipado no território Yanomami devido à situação de Emergência de Saúde Pública de Importância Nacional enfrentada na região.

    “Ampliar as coberturas vacinais dos Yanomamis, assim como de todos os indígenas, é prioridade do Ministério da Saúde. Antecipar a ação no território é uma medida para mitigar a grave situação de desassistência em saúde encontrada na região”, destacou o secretário de Saúde Indígena da pasta, Weibe Tapeba.

    Cerca de 20 mil doses de vacinas bivalentes contra a Covid-19 foram enviadas ao território Yanomami para ampliar a proteção da população indígena. Além dessas, o plano de ação emergencial também prevê a oferta de outros imunizantes disponíveis no Calendário Nacional de Vacinação, como BCG, hepatites, influenza, pneumo, HPV, meningocócica, entre outros.

    A ação é realizada em conjunto com a Secretaria Estadual de Saúde de Roraima e com o apoio dos profissionais de saúde da Força Nacional do Sistema Único de Saúde (SUS) que atuam no local.