Como o café interfere no seu sono e na sua saúde

Especialista explica o que a ciência sabe sobre quantidades seguras da bebida e de que maneira ela afeta cada pessoa

Xícaras de café
Xícaras de café Foto: Luisa Gonzalez/Reuters

Ada Wood, da CNN

Ouvir notícia

A maioria das pessoas começa o dia da mesma forma: com uma xícara de café. Cafeína faz parte da rotina, assim como escovar os dentes e tomar banho. Para alguns, o hábito de tomar um cafezinho se estende para depois do almoço, meio da tarde, fim do dia. E o resultado disso, muitas vezes, pode ser dificuldade para dormir à noite.

Na entrevista a seguir, o epidemiologista Rob. M van Dam, que pesquisa nutrição na Universidade Nacional de Singapura, fala sobre a relação entre cafeína e saúde: o que se sabe sobre quantidades seguras da bebida e de que maneira ela afeta cada pessoa.

CNN: Qual é a hora de parar de tomar café durante o dia para garantir uma boa noite de sono?

Rob van Dam: A pergunta parece simples, mas infelizmente não existe uma única resposta para ela. E isso acontece porque que as pessoas reagem de maneiras diferentes à cafeína. Sentir tremores, nervoso ou mudanças no ritmo dos batimentos cardíacos podem ser sinais de que você está tomando muito café. E isso pode interferir no sono. O quanto parar de tomar café em um determinado momento do dia impede que isso aconteça vai variar de pessoa para pessoa.

Quais fatores afetam a maneira como reagimos à cafeína?

O estilo de vida é o que faz a diferença. Por exemplo, pessoas que fumam metabolizam a cafeína no fígado cerca de duas vezes mais rápido. Se você é fumante, provavelmente poderá tomar café à noite e não sentir nenhuma diferença no sono.

Por outro lado, mulheres que tomam anticoncepcional tendem a demorar duas vezes mais para metabolizar a cafeína. Pode ser que você sempre tenha tomado café até tarde da noite e nunca tenha tido nenhum problema para dormir, mas quando começou a tomar anticoncepcional passou a dormir mal.

A genética também pode interferir. Algumas pessoas possuem enzimas que podem fazer com que o organismo metabolize a cafeína mais rápido ou mais devagar. 

Qual é a quantidade de cafeína considerada excessiva?

A Food and Drug Administration (FDA), órgão norte-americano equivalente à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), recomenda o consumo de 400 miligramas por dia ou menos. Uma xícara de café tem cerca de 100 miligramas de cafeína, o que dá cerca de 4 xícaras por dia. Outra recomendação é não passar de 200 miligramas por vez (duas xícaras). Mesmo que você tome as quatro xícaras por dia, não é recomendado ingerir tudo de uma vez, o que demandaria demais do organismo para metabolizar toda essa quantidade de cafeína.

Todo mundo pode consumir cafeína?

A substância nos deixa mais alerta. Por esse motivo, pode ser benéfica para ajudar na execução das tarefas de rotina e para situações como precisar dirigir por longas horas durante a noite. Mas não é todo mundo que precisa de cafeína, por exemplo, quem tem uma boa energia naturalmente e quem costuma dormir bem. E não há nenhuma razão para consumi-la se você não quiser. Mesmo se você gosta de café, existem opções da bebida sem cafeína. 

É seguro consumir cafeína?

O café é, provavelmente, uma das bebidas mais estudadas atualmente. Existem pesquisas sobre a relação entre café e câncer, problemas cardiovasculares e outras doenças. E os resultados mostram que se você gosta da bebida, consegue consumi-la com moderação e não sente nenhum efeito-colateral, não precisa se preocupar. 

(Texto traduzido. Leia o original, em inglês)

Mais Recentes da CNN