Como se proteger das variantes do coronavírus? Confira dicas de uma especialista

Vacinas têm demonstrado eficácia contra mutações do vírus, mas medidas como o uso de máscara e distanciamento ainda precisam ser mantidas

Por variantes do coronavírus, especialista não recomenda atividades ao ar livre com menos de 2 metros de distância entre pessoas
Por variantes do coronavírus, especialista não recomenda atividades ao ar livre com menos de 2 metros de distância entre pessoas Foto: John Lamparski - 10.abr.2021/Getty Images

Katia Hetter, da CNN

Ouvir notícia

A variante do novo coronavírus que se originou no Reino Unido se tornou dominante nos Estados Unidos. De acordo com o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), a mutação B.1.1.7 do SARS-CoV-2 está presente em todos os 50 estados e contribui para os surtos de infecção pela doença. 

Além dos indícios de ser mais transmissível, algumas pesquisas também sugerem que a cepa pode causar doenças mais graves, o que coloca mais pessoas em risco de hospitalização e morte.

No Brasil, a variante P.1, encontrada em Manaus, capital do Amazonas, se espalhou pelo país e pode estar associada ao aumento das taxas de letalidade em pessoas com mais de 20 anos.

Mas o que fazer para se proteger contra essas variantes mais contagiosas? Para responder essa e outras perguntas sobre as mutações do vírus, conversamos com a analista da CNN, Dra. Leana Wen, médica emergencial e professora visitante de política e gestão de saúde na Escola de Saúde Pública do Instituto Milken da Universidade George Washington. 

O que devemos fazer de diferente agora que a variante B.1.1.7 se tornou dominante nos Estados Unidos?

A variante B.1.1.7 é mais transmissível do que as cepas anteriores, o que significa que precisamos ser ainda mais cautelosos. Algumas atividades que antes pensávamos serem de baixo risco – como ir ao supermercado e usar o transporte público – agora apresentam um risco maior de transmissão do vírus. Aqueles que antes eram de alto risco – como ir a bares fechados ou aglomerados em grandes multidões – agora apresentam risco ainda maior.

Precisamos estar ainda mais alertas do que antes. Por exemplo, se você for comer ao ar livre em um restaurante, verifique se eles estão de acordo com as diretrizes do CDC e se há pelo menos 2 metros de distância entre as mesas. Aqueles que ainda não foram totalmente vacinados devem esperar até serem vacinados antes de se sentarem próximos a outra pessoa em sua mesa.

Dito isso, essa variante se espalha como outras variantes. As mesmas medidas que usamos antes para prevenir a disseminação do coronavírus ainda são eficazes agora. Isso significa usar uma máscara em público, praticar o distanciamento e evitar reuniões em ambientes fechados com pessoas que não sejam de sua casa.

É ainda mais importante ser vacinado assim que chegar a sua vez.

As vacinas funcionam contra esta variante?

Sim, e este é um ponto muito importante. Todas as vacinas autorizadas atualmente fornecem um bom nível de proteção contra a B.1.1.7 (lembre-se de que nenhuma vacina é 100% eficaz, mas ser vacinado contra Covid-19 significa que você corre muito menos risco de contrair a doença e ficar gravemente doente devido a isso).

Existem outras variantes contra as quais as vacinas podem ser um pouco menos eficazes. No entanto, elas ainda são a ferramenta principal para prevenir essas outras variantes que podem se desenvolver no futuro.

Os vírus sofrem mutação quando se replicam. A melhor maneira de evitar a mutação deles é interromper a propagação. Ajudamos a diminuir e impedir a propagação quando somos vacinados.

Essa variante particularmente perigosa para os jovens?

Nas últimas semanas, constatamos que pessoas mais jovens estão sendo infectadas em proporções maiores. Isso inclui adolescentes e pessoas na faixa dos 20, 30 e 40 anos. Isso provavelmente se deve a uma combinação de fatores.

Os idosos foram vacinados primeiro e, portanto, estão mais protegidos. Muitos jovens ainda não foram vacinados e, devido ao seu nível elevado de atividade, quando há uma variante mais contagiosa, é provável que sejam mais infectados. 

Também pode haver algo no B.1.1.7 que o torna mais fácil de se prender ao sistema respiratório e para as pessoas abrigarem mais vírus, assim, possivelmente, adoecendo mais e tornando-os mais infecciosos em alguns casos.

Tudo isso sugere que o vírus não está atacando preferencialmente os mais jovens, mas os mais jovens são mais vulneráveis, pois muitos não foram vacinados.

O que devemos fazer para evitar a infecção por esta variante mais transmissível?

As pessoas que não foram vacinadas devem tentar ser vacinadas o mais rápido possível. Essa é a melhor defesa contra essa variante e outras.

Até que isso seja feito, eles devem dobrar todas as precauções. Novamente, isso significa usar uma máscara em todos os lugares públicos. Estudos demonstraram que é útil usar duas máscaras: uma de pano bem ajustada sobre uma máscara cirúrgica. A recomendação é usar duas máscaras como esta ou uma N95 em ambientes de alto risco, como no transporte público ou participando de um culto com muitas pessoas ao seu redor.

Tente evitar os ambientes de maior risco, onde as pessoas não estão usando máscaras, como refeições em ambientes fechados. Socialize-se apenas ao ar livre, com membros de diferentes famílias separados por pelo menos 2 metros de distância.

O CDC apontou que os esportes praticados pelos jovens geram infecções. Eles devem parar essas atividades?

É verdade que em Michigan e Minnesota, entre outros lugares, houve surtos associados a esportes juvenis. Com esta variante B.1.1.7 mais transmissível e o fato de que os jovens com menos de 16 anos ainda não podem ser vacinados, é melhor ter cuidado.

Os esportes que podem ser praticados ao ar livre são muito mais seguros do que os praticados em locais fechados. Esportes de contato como a luta livre apresentam um risco muito maior do que, digamos, futebol ou lacrosse. Os jogadores devem usar máscaras o tempo todo quando o distanciamento físico não puder ser mantido. Testes de vigilância regulares de todos os jogadores podem ajudar, por exemplo, se todos forem testados duas vezes por semana para verificar se há infecção assintomática.

É muito importante que os pais monitorem todos os ambientes. Não adianta nada tomar todos os cuidados durante a prática do esporte e relaxar na festa após o jogo. 

Idealmente, esses tipos de interações sociais devem ser limitadas por enquanto, com precauções estritas seguidas de modo a prevenir a propagação do vírus. 

CNN: E quanto às pessoas que estão totalmente vacinadas? Elas ainda precisam ser tão cuidadosas?

As vacinas que temos funcionam muito bem contra a variante B.1.1.7. As pessoas que estão totalmente vacinadas devem saber que estão muito bem protegidas contra esta cepa. “Totalmente vacinado” significa que já se passaram pelo menos duas semanas depois que alguém recebeu as duas doses da vacinas.

Nada é 100%. O que as pessoas decidem fazer depois de totalmente vacinadas dependerá de seus valores e escolhas. Após a vacinação, as atividades que antes eram de alto risco terão menor risco, mas ainda haverá algum risco. Isso precisa ser pesado em relação ao benefício dessas atividades.

O CDC diz que as pessoas totalmente vacinadas podem ver umas às outras e que podem visitar outra casa com parentes não vacinados, desde que as pessoas não vacinadas não sejam consideradas grupo de risco para a Covid-19. É definitivamente necessário usar máscaras em locais públicos, mesmo após a vacinação, e reduzir o tempo em locais de alto risco, como ambientes fechados e lotados com pessoas não vacinadas.

Defendo a ideia de uma abordagem como a de um “orçamento” para o coronavírus: sabendo que você não pode fazer tudo, deve escolher as coisas que são da maior importância para você.

Mesmo com uma variante diferente, seu conselho principal é seguir as mesmas medidas de proteção que já estamos seguindo?

Isso mesmo. Precisamos ter em mente que a pandemia ainda não acabou. Há esperança absoluta e a esperança está aqui, mas ainda precisamos ter cautela, especialmente por causa dessa variante mais contagiosa.

Por favor, continue usando máscara, mantendo o distanciamento e evitando aglomerações. Procure ser vacinado o mais rápido possível. Ser vacinado é a chave para impedir que o vírus continue a se espalhar e potencialmente adoecer muito mais pessoas.

(Texto traduzido; leia o original em inglês)

Mais Recentes da CNN