Correspondente Médico: Estudo relaciona atividades físicas à vontade de viver

Neurocirurgião Fernando Gomes falou sobre pesquisa dos EUA que acompanhou mais de 18 mil pessoas por 10 anos

Da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

Na edição desta sexta-feira (6) do quadro Correspondente Médico, do Novo Dia, o neurocirurgião Fernando Gomes falou sobre um estudo que investigou os impactos na mente das atividades físicas.

A pesquisa feita por diversos especialistas nos Estados Unidos acompanhou mais de 18 mil pessoas por um período de quase 10 anos. A principal conclusão do estudo foi que as pessoas fisicamente ativas tiveram mais facilidade para definir o objetivos de vida e também tiveram mais vontade de viver.

Gomes lembrou que, a curto prazo, a prática de atividades físicas libera diversos neurotransmissores que impactam tanto na concentração como na capacidade de memorizar fatos.

“Olhando esse estudo a longo prazo, com tantas pessoas e tanto tempo de observação, a conclusão principal traz pra gente uma sensação de conexão com a vida. Pessoas mais motivadas, que têm objetivos fáceis de serem traçados e conseguidos”, afirmou o médico.

“Em análises desse tipo, questionários são aplicados e a manifestação clínica de doenças é observada, o contrário disso seria a manifestação de problemas de saúde mental e até mesmo a manifestação de depressão, ansiedade e estresse”, explicou Gomes sobre como é possível mensurar os impactos de exercícios físicos na mente.

Pessoas fazem exercício no Parque do Ibirapuera durante a pandemia
Pessoas fazem exercício no Parque do Ibirapuera, em São Paulo, após a flexibilização do isolamento social durante a pandemia
Foto: Rovena Rosa – 17.jul.2020/Agência Brasil

Mais Recentes da CNN