Correspondente Médico: Uma vacina é capaz de imunizar todas as pessoas?

Putin diz que Rússia aprovou nesta terça-feira (11) vacina contra Covid-19

Da CNN

Ouvir notícia

O Ministério da Saúde da Rússia concedeu a aprovação regulatória para a primeira vacina contra Covid-19 do mundo, desenvolvida pelo Instituto Gamaleya de Moscou, após menos de dois meses de testes em humanos. O anúncio foi feito nesta terça-feira (11) pelo presidente do país, Vladimir Putin.

O desenvolvimento acelerado da substância preocupa especialistas, além de despertar dúvidas sobre a segurança, eficácia e a possível supressão de etapas essenciais no processo. Até o momento, a Rússia não divulgou dados científicos sobre os testes de sua vacina. 

Na edição desta terça-feira (11) do quadro Correspondente Médico, do Novo Dia, o neurocirurgião Fernando Gomes repercutiu o anúncio de Putin e explicou quais serão os impactos da notícia no mundo. De acordo com ele, mesmo com a corrida pela imunização da doença, a notícia é positiva e pode revolucionar o tratamento contra o vírus. 

Leia também: 

Duterte diz ter ‘grande confiança’ em vacina russa e se voluntaria para teste
Rússia procurou SP para possível parceria na produção de vacina, diz governo

Correspondente Médico: Uma vacina é capaz de imunizar todas as pessoas?
Correspondente Médico: Uma vacina é capaz de imunizar todas as pessoas?
Foto: Reprodução/CNN

“A gente espera que a vacina proteja todo mundo. Mas estamos vendo que as dúvidas existem e que as certezas são derrubadas em alguns casos. Existe uma preocupação mundial e a gente achava que esta vacina chegaria antes do fim do ano e de repente surge esta notícia”, afirma.

E prosseguiu: “Portanto, existe todo interesse da comunidade científica de ter acesso aos dados relacionados às etapas deste processo de produção do medicamento. Mas, de qualquer forma, a notícia é boa e promete algo que pode revolucionar o tratamento do novo coronavírus”, explicou.

O médico analisou ainda os critérios exigidos para a produção do medicamento e que garantem a eficácia da dose. “Além dos critérios já validados, existe a questão da testagem e da avaliação se ela é segura a médio e longo prazo. Quando Putin diz que a própria filha foi testada, ele está tentando validar um testemunho. No entanto, sabemos que na ciência esse tipo de discurso não adianta”, completa.

Fernando Gomes também alertou para o impacto da notícia sobre a vacina em países que também estão na corrida imunização do vírus. “Esta afirmação do presidente pode causar uma preocupação e desconforto no mundo. A gente sabe que tem uma influência muito maior do que apenas as questões de preocupação com a ciência e saúde”, finalizou.

(Edição: André Rigue)

Mais Recentes da CNN