Brasil confirma 2.922 novas mortes por Covid-19 nesta sexta-feira

Desde o início da pandemia, 328.206 vidas foram perdidas no Brasil

Nathallia Fonseca, da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

O Brasil registrou, nesta sexta-feira (2), 2.922 mortes causadas pela Covid-19. O dado foi divulgado pelo Conselho Nacional de Secretários de Saúde (CONASS) e pelo Ministério da Saúde e reforça o crescimento da média móvel de mortes pela doença, apontou 3.013 óbitos diários durante a semana.

O Ministério da Saúde trabalha com semanas epidemiológicas, períodos de sete dias que vão de um domingo ao sábado seguinte. A Semana 13, que termina amanhã, já acumula 17.656 mortes. A semana anterior registrou 17.698 óbitos.

Desde o início da pandemia, 328.206 vidas foram perdidas no Brasil devido a infecção por coronavírus. Ainda segundo o painel do CONASS, 12.910.082 casos foram confirmados, sendo 70.238 novas contaminações nas últimas 24 horas. 

São Paulo, que atingiu recorde de mortes no estado na quinta-feira (1º), é o mais atingido pela pandemia em números absolutos, com 2.513.178 confirmações de casos e 91,8% de ocupação dos leitos de UTI. Em seguida, estão Minas Gerais, Paraná e Rio Grande do Sul. 

Enterro no cemitério da Vila Formosa, em São Paulo, durante pandemia da Covid-19
Enterro no cemitério da Vila Formosa, em São Paulo, durante pandemia da Covid-19
Foto: Ettore Chiereguini/Agif – Agência de Fotografia/Estadão Conteúdo (26.mar.2021)

Em entrevista à CNN nesta sexta-feira, a pneumologista e pesquisadora da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) comentou a crescente de casos e mortes no Brasil e ressaltou a importância do cumprimento das medidas de prevenção por parte da população. 

De acordo com a especialista, “não há dúvida de que precisamos de muitas vacinas. Vacinar muita gente e muito rápido. Assim, talvez alcancemos, na virada do semestre, uma imunidade coletiva de 70%, sem isso não dá para relaxar nenhuma medida pessoal nem coletiva”. 

Novas doses de vacinas

A Fundação Oswaldo Cruz entrega neste sexta-feira (2) ao Ministério da Saúde 1,37 milhão de doses da vacina de Oxford/Astrazeneca contra a Covid-19. Com a remessa, a instituição finaliza o cronograma do mês de março e ultrapassa os 3,8 milhões previstos, chegando a 4,2 milhões.

Além disso, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária informou, em nota, que o recebimento de solicitação de nove estados para permissão excepcional de importação da vacina Sputnik V, produzida na Rússia contra a Covid-19. De acordo com a agência, Bahia, Acre, Rio Grande do Norte, Maranhão, Mato Grosso, Piauí, Ceará, Pernambuco e Sergipe pediram autorização. 

Mais Recentes da CNN