David Beckham aparece com 70 anos em campanha de combate à malária

Ex-jogador passou por uma reformulação digital que simula a aparência de Beckham aos 70 anos

Sara Spary,

da CNN

Ouvir notícia
Beckham
Foto: Malaria No More/Divulgação

David Beckham é possivelmente tão famoso por sua aparência quanto por sua carreira no futebol, mas uma nova campanha o mostra como nunca visto antes.

O ex-meio-campista do Manchester United e do Real Madrid, de 45 anos, passou por uma reformulação digital que simula a aparência de Beckham aos 70 anos.

A imagem faz parte de uma campanha do braço britânico da organização sem fins lucrativos Malaria No More, que afirma que há um consenso entre os cientistas de que a malária pode ser erradicada ainda nessa vida.

Leia também:
Séries Originais de amanhã relembra início da epidemia de zika, em 2015
Como uma pessoa se sente depois de tomar uma vacina de mRNA contra a Covid-19

Beckham, que também jogou pelo LA Galaxy, Paris Saint-Germain e AC Milan, parece viajar no tempo em um vídeo da campanha, que incentiva as pessoas a compartilharem seu apoio nas redes sociais.

Ao surgir como um homem mais velho (Beckham parece ter envelhecido cerca de 30 anos), ele diz ao público no vídeo que o mundo derrotou a malária – “o inimigo mais antigo e mortal da humanidade” – sob uma salva de palmas.

Em seguida, o vídeo volta para 2020, com o atleta passando uma mensagem mais sóbria. “Neste momento, a luta está mais difícil do que nunca. E, como pai, me parte o coração saber que uma criança morre a cada dois minutos de malária”, diz.

“Um futuro livre dessa doença é possível em nossas vidas. Precisamos nos unir e dizer aos nossos líderes que não vamos parar até que o trabalho termine. Junte-se a mim e compartilhe, para declarar que a malária deve morrer, e assim milhões possam viver”.

A malária, que mata cerca de 400 mil pessoas por ano, sendo a maioria crianças com menos de cinco anos, é uma doença parasitária transmitida pela picada de mosquitos fêmeas, e é especialmente prevalente em toda a África Subsaariana.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), a doença pode ser prevenida por meio de mosquiteiros e curada com medicamentos antimaláricos.

A organização Malaria No More disse em um comunicado à imprensa que, no contexto da pandemia do coronavírus, espera que a campanha “reacenda a crença de que a humanidade é capaz de se unir para derrotar doenças”.

Além de seu trabalho voluntário, Beckham faz parte da equipe de cinco sócios da MLS, a liga de futebol dos Estados Unidos. O grupo é liderado pelo presidente da MasTec, Jorge Mas, que nasceu em Miami e comanda o Inter Miami.  

O ex-capitão da seleção da Inglaterra (Beckham jogou 58 vezes pelo seu país) é membro fundador do Conselho Executivo da Malaria No More no Reino Unido.

“A luta contra a malária é uma causa muito importante para mim, porque a doença continua a vitimar crianças e temos a oportunidade de mudar isso ainda em nossas vidas”, afirmou o jogador.

Pedro Alonso, diretor do Programa Global de Malária da OMS, acrescentou: “O surgimento da Covid-19 mostrou ao mundo como nossos sistemas de saúde são fundamentais.

“É crucial que, em 2021, o mundo retome o caminho para alcançar as metas existentes de redução da malária, conforme superamos a pandemia. Ao investir no combate à malária, não apenas salvaremos vidas que de outra forma seriam perdidas para esta doença mortal, mas também protegeremos os sistemas de saúde atuais”, disse Alonso.

(Texto traduzido, clique aqui para ler o original em inglês). 

Tópicos

Mais Recentes da CNN