‘É inadmissível que o Brasil não tenha desenvolvido uma vacina’, diz médico

O epidemiologista, gerontologista e ex-OMS, Alexandre Kalache, chamou a atenção para a falta de esforços nacionalmente

Produzido por Elis Franco, da CNN em São Paulo

Ouvir notícia

 

Em entrevista para a CNN neste domingo (14), o epidemiologista, gerontologista e ex-OMS, Alexandre Kalache criticou a falta de investimento por parte do Governo Federal para que o Brasil pudesse ter desenvolvido uma vacina própria.

“É inadmissível para o Brasil, com todos os recursos e sanitaristas de primeira, com instituições de reconhecimento internacional, como Manguinhos e Butantan, não tenha feito sob uma política nacional um esforço para desenvolver a nossa própria vacina. Nós temos know how para isso, mas a falta de investimento levou a essa situação em que nós dependemos de outras vacinas e não corremos atrás”, diz.

Kalache fez um paralelo com o que está acontecendo nos países vizinhos e chamou a atenção para a falta de esforços nacionalmente.

“O Chile aqui do lado tem quatro ou cinco vacinas que eles conseguiram correr atrás e já vacinaram 12% da população. Nós estamos lá atrás. A pequena Cuba, ok, eles investem em biotecnologia há anos e já desenvolveram quatro vacinas”, afirma.

 

O médico ressaltou que o Brasil, por fazer parte do BRICS, grupo formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul, poderia ter criado relações melhores já que está aliado a países produtores de vacinas contra a Covid-19.

“Por que nós não fizemos uma aliança? Mas, para isso, precisava de haver uma vontade do Governo Federal de se unir a estes países, ou aos da América Latina, e desenvolver a nossa própria vacina na América Latina ou estabelecer vínculos fortes com os outros países do BRICS, que estão na dianteira, e nós aqui, sem termos as doses suficientes”, conclui.

 

 

Mais Recentes da CNN